Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

APÓS PROTESTOS, INSTAGRAM DESISTE DE TOMAR DIREITOS AUTORAIS E DIZ QUE NÃO VAI VENDER FOTOS

19/12/2012

O Instagram, rede social de fotografia, voltou atrás na decisão de assumir os direitos autorais das fotos dos usuários, revertendo mudanças em seus termos de uso do serviço anunciadas nesta segunda-feira (17).

Em um post divulgado no blog oficial do serviço, Kevin Systrom, cofundador do Instagram, informou que os direitos das imagens continuarão com os usuários --agora, a rede diz querer apenas os direitos limitados à "licença de uso" das fotos publicadas.

"Desde que fizemos as mudanças [nos termos de uso], nós ouvimos alto e claro que muitos usuários estão confusos e chateados com o que isso significa. É fácil interpretar errado documentos jurídicos", escreveu Systrom.

Reprodução
Site do aplicativo Instagram, que anunciou segunda-feira (17) nova política de uso
Site do aplicativo Instagram, que anunciou segunda-feira (17) nova política de uso

Desde anteontem, quando as alterações foram divulgadas, internautas encheram de reclamações o espaço de comentários de fotografias do próprio perfil do Instagram.

No próprio perfil do Instagram na rede, usuários espinafravam a companhia nos comentários da última foto postada. "Se vocês pensam por um segundo que eu vou deixar vocês terem direitos sobre meu trabalho... Vocês estão redondamente enganados. Arrume essa porcaria agora. Vocês não têm direitos sobre minhas fotos", escreveu a usuária jennifer_somerton.

"Pensei que vocês tivessem mais integridade que lucrar com imagens de fotógrafos sem remunerá-los" e "os novos termos de uso são a morte dos perfis mais artísticos do Instagram" são apenas mais duas das várias reclamações postadas.

Systrom acrescentou que não há a intenção de usar as imagens em anúncios publicitários e que a venda de fotografias também não está nos planos da companhia. "Nossa linguagem estava confusa, foi um erro nosso. Nós estamos trabalhando para tornar tudo mais claro", disse o cofundador da rede.

Segundo o Instagram, as mudanças foram feitas para que dados possam ser compartilhados facilmente com o Facebook, seu proprietário. A maior rede social do mundo procura monetizar o Instagram, que tem mais de 100 milhões de usuários.

"Nós queremos criar oportunidades para o usuário descobrir novas contas e conteúdo, enquanto construímos um negócio autossustentável", diz Systrom, que prometeu que banners de propaganda não irão à plataforma.

"Nossa intenção com os novos termos de uso é dizer que gostaríamos de experimentar com anúncios inovadores que sejam apropriados ao Instagram. Nós vemos um futuro em que os usuários e as marcas podem promover suas fotos e contas para aumentar o engajamento", comenta o executivo.
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar