Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

PRIMEIRO JORNAL DO MUNDO SÓ PARA TABLETS, ´THE DAILY´ VAI DEIXAR DE EXISTIR

04/12/2012

O "Daily", primeiro jornal do mundo feito exclusivamente para tablets, vai deixar de existir no dia 15 de dezembro, informou nesta segunda-feira (3) a News Corp., empresa de mídia e entretenimento do bilionário Rupert Murdoch e dona da publicação.

O "Daily" foi lançado em fevereiro do ano passado sob a promessa de revolucionar a forma como o leitor consome jornais no mundo.

Em comunicado, Murdoch afirmou que a empresa não conseguiu atrair público suficiente para "tornar o modelo de negócios da publicação sustentável a longo prazo".

A empresa não divulga números, mas estima-se que o jornal teria 100 mil assinantes --na época do lançamento, Murdoch disse que seriam necessários 500 mil para o jornal não perder dinheiro.

Parte da equipe do jornal será transferida para o "New York Post", que também pertence ao grupo de Murdoch.

Segundo a empresa, a marca The Daily deve sobreviver em "outros canais" de comunicação do conglomerado.

Nicholas Kamm/AFP
´O
O jornal "The Daily" visto em um iPad; News Corp., do empresário Rupert Murdoch, anunciou o fim do periódico

REESTRUTURAÇÃO

A News Corp. também revelou detalhes sobre sua divisão em duas empresas distintas, conforme anunciado em junho.

O braço editorial da companhia, a News Corporation, será dirigido por Robert Thomson, ex-Dow Jones e Wall Street Journal.

A parte focada em entretenimento, a Fox Group, terá no comando Chase Carey, vice-presidente do grupo, com James Murdoch (filho de Rupert), 39, como chefe de operações.

Na nova fase do conglomerado, que é avaliado em cerca de US$ 60 bilhões, Rupert Murdoch atuará como presidente do conselho das duas novas empresas, e a sua família manterá o controle sobre os empreendimentos.

"Vamos construir a nossa missão tradicional de informar, entreter e melhorar a vida dos leitores e espectadores de todo o mundo", disse Murdoch no comunicado.

NEWS CORP.

A News Corp. é proprietária, entre outros, do "Wall Street Journal" (o jornal de maior circulação dos Estados Unidos), dos jornais britânicos "The Times" e "The Sun" e da produtora de cinema 20th Century Fox.

No ano passado, o grupo se envolveu em um escândalo de escutas telefônicas no Reino Unido que resultou no fim do jornal "News of the World".
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar