Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

POR QUE A CHEGADA DA AMAZON AO BRASIL NÃO ME EMPOLGA

26/11/2012

Hoje resolvi falar um pouco da Amazon, a nº 1 do varejo mundial e que deverá chegar ao Brasil em breve. Escolhi essa data pela frustração com o que tenho visto hoje, no terceiro Black Friday brasileiro, onde imperam propagandas enganosas; preços sendo aumentados na véspera para baixar no dia; estoques mínimos de produtos chamariz a ótimos preços, mega lançamentos que todos querem, mas que as lojas colocam pouquíssimas unidades para dizer que ofertaram e, na maioria das vezes, grandes descontos de produtos encalhados, em que há grandes estoques e zero interesse por parte do consumidor.

Ei, varejo brasileiro, vamos aprender com os gringos?

Algumas pessoas veem a Amazon como uma divisora de águas para o varejo nacional. O argumento é de que a empresa trará um nível de profissionalismo e infra-estrutura ainda não visto no Brasil, o que deve impulsionar o setor como um todo. De fato, a Amazon nos Estados Unidos é imbatível! Mas que Amazon virá para o Brasil? Lembremos que o Walmart é um gigante nos Estados Unidos, mas no Brasil ainda não despontou. Eu, sinceramente, tenho poucas expectativas sobre a chegada da Amazon no Brasil.

Antes de continuar, um alerta: esse é um daqueles textos pessimistas com relação ao nosso país e que, de forma indireta, mostra o buraco negro que existe entre nós, brasileiros e os americanos, reis do consumismo indiscriminado. Se você prefere continuar acreditando em papai noel, melhor parar por aqui, do contrário, bom, do contrário nada! Afinal, já estamos calejados com tantas enganações - mais uma, menos uma, tanto faz. 

São tantos os boatos de que a Amazon está para abrir sua loja virtual no Brasil que não podemos ignorar. É como diz o ditado: onde há fumaça, há fogo. Mas por que isso não me empolga? Porque se você já foi para os Estados Unidos e resolveu comprar na Amazon pedindo para entregar no seu hotel, sabe dos diversos benefícios e diferenciais que o maior varejo do Mundo possui frente a qualquer concorrente. São tantos os benefícios, que fica difícil concorrer. Quando digo frente a qualquer concorrente, falo da facilidade e agilidade no processo como um todo. Pré-compra: site muito bem estruturado e de fácil navegabilidade; Durante a compra: ferramenta de e-commerce eficaz, permitindo compras a partir de quaisquer dispositivos, incluindo de forma segura os smartphones; Pós-compra: caso você simplesmente desista da compra, por qualquer motivo, consegue reembolso, sem muito stress. Claro que muito disso tem a ver com a legislação americana e com o senso crítico de seu povo, que não aceita comprar gato por lebre.

Voltando para o Brasil, recentemente, uma pesquisa mostrou que 84% dos consumidores ouvidos gostariam de ver a Amazon no Brasil. Isso se justifica pela fama da empresa, um modelo de varejo que deu certo, com altos índices de satisfação do cliente. Infelizmente a Amazon, empresa bem sucedida que as pessoas conhecem dos Estados Unidos, não é a mesma que virá para o Brasil. Não esperem isso. Eu não espero! O nome será o mesmo, mas o que levou a empresa a se tornar o que é, provavelmente ficará por lá.

Sendo prático, vou listar abaixo benefícios vistos por lá e que, salvo uma aberração da natureza, não veremos por aqui.

Amazon Prime
O Prime é um serviço que a Amazon disponibiliza por US$ 79,00 anuais e garante uma série de benefícios a seus assinantes. Você pode assistir milhares de filmes e séries de TV via streaming, pegar livros emprestados com outros proprietários do Kindle, e-reader e tablet da empresa e, o melhor, possibilita frete expresso grátis para milhões de produtos vendidos pela Amazon e lojas parceiras. A princípio pode não parecer tão vantajoso, mas tenham em mente que um frete expresso, de dois dias úteis, como o garantido pelo Prime, custa muito caro nos Estados Unidos. Três ou quatro produtos comprados e enviados dessa forma, provavelmente já custariam os US$ 79,00 de uma assinatura anual do serviço. Se você costuma comprar online, certamente a longo prazo o benefício será enorme, tanto em economia, quanto agilidade, o que por si só agrega muito valor para consumidores e à empresa, tanto que milhões de americanos atualmente o assinam.


O maior diferencial da Amazon chama-se Amazon Prime

Alguns analistas dizem que o Prime é a maior arma da Amazon frente à concorrência e, talvez, uma bomba relógio esperando para explodir. Eles alegam que milhões de assinantes demandam um desafio de infra-estrutura ímpar, já que o frete é terceirizado, sendo pela Fedex ou pela UPS. Quanto a Amazon paga por isso? Ninguém sabe...

O serviço é tão bem sucedido nos Estados Unidos que vários expoentes do varejo americano, de vários setores, se uniram e criaram o 
ShopRunner, um serviço similar ao Prime, onde até o preço é o mesmo - U$ 79,00, oferecendo o mesmo serviço de frete rápido, além de cupons de desconto, para tentar criar um diferencial competitivo. Lojas como a Toys R Us, PetSmart, GNC, entre outros expoentes, de vários nichos de mercado, já aderiram ao serviço. É a concorrência que tanto amamos dando as caras.

A pergunta que fica é: Em um país como o Brasil, onde o transporte de cargas e encomendas é essencialmente realizado por rodovias, sucateadas, diga-se de passagem, seria a Amazon capaz de fornecer um serviço de mesma qualidade? Duvido! Acredito que a Amazon deverá, a médio prazo, trazer o serviço ao país, mas esse é um desafio que precisará ser muito bem estudado, provavelmente terá custos e prazo de entregas superiores, bem como deverá ser mais limitado, não oferecendo streamming de vídeos. Basta comparar a limitação do serviço Netflix no Brasil comparado a oferta nos Estados Unidos. Temos um gap muito grande de disponibilidade, o que deverá ser replicado na Amazon, isso se o serviço chegar ao Brasil.


Infinidades de títulos disponíveis sem pagar nada a mais por isso.

Devolução de Produtos sem justificativa / custos
Já comprei na Amazon diversas vezes. Em 05 oportunidades distintas, recebi os produtos no hotel e, por algum motivo, os devolvi. Um desses produtos devolvi por que estava com defeito, os demais, porque achei mais barato em outros sites, ou porque chegaram fora do prazo de entrega e eu já havia deixado o hotel. Nesse caso o hotel providenciou a devolução. Em todos os casos, devolvi os produtos sem custo extra, de forma fácil, ágil e descomplicada. Recebi o estorno em meu cartão de crédito em cerca de 20 dias, sem sustos. Claro que a legislação americana é mais rígida e tem papel importante no bom funcionamento do que aqui chamamos de "direito de arrependimento", mas já comprei em outros sites, tive problemas e não consegui resolvê-los tão facilmente. Méritos da Amazon.

O site da Amazon tem uma área que permite visualizar todos os produtos comprados e disponibiliza ações relacionadas com cada compra. Uma dessas ações é "Retornar ou trocar itens". Acessando essa opção você tem que dar uma razão pela troca ou devolução. São mais de dez razões que você pode optar, desde "produto defeituoso", até "não preciso mais do produto". Se você usa o serviço Prime, basta imprimir os dados de devolução, levar o produto a uma loja UPS, ou a um posto de coleta (tem em todos os cantos), e deixar o produto. Os custos são todos da Amazon. Gostou? Eu também! Mas acho improvável que isso seja aplicado dessa forma por aqui, por alguns motivos: A legislação brasileira é muito frouxa e a internet ainda é terra de ninguém. Por mais que a lei permita 07 dias de arrependimento para produtos comprados online, isso geralmente é ignorado pelo varejo local, a menos que você compre uma briga judicial para exigir seus direitos, ou faça muito barulho online. Temos uma lógica invertida por aqui. Outro ponto e, espero que ninguém se ofenda, é cultural. Somos acostumados a utilizar o jeitinho brasileiro para conseguirmos vantagens em tudo. A famosa Lei de Gérson, certo? Adoramos explorar brechas legais que, em alguns casos, não são morais. 


Comprou e se arrependeu? Basta devolver.

Nos Estados Unidos a Lei permite devolução em até 30 dias. Basta levar o produto com a nota fiscal dentro do prazo e pronto: é realizada a troca ou a devolução do dinheiro. Em grandes redes isso costuma ser fácil e rápido. Na Amazon, conforme mencionei anteriormente, isso funciona perfeitamente bem. O problema é que há algum tempo, pessoas mal intencionadas, incluindo aí nós, brasileiros, começaram a descobrir que dava para comprar algo, usar durante um período e devolver antes do prazo final para devolução, pegando o dinheiro de volta. Exemplo? Uma famosa loja de fotografia, a B&H Photo, localizada fisicamente em Nova Iorque, mas que possui uma das maiores lojas virtuais de fotografia e vídeo, tem tido problemas com isso. As pessoas compram máquinas fotográficas, usam por uma semana e devolvem. Ou seja: fotografam suas viagens com uma câmera boa e depois devolvem e pegam o dinheiro de volta. Não são apenas brasileiros, claro, mas estamos na lista dos que mais fazem isso. Agora, imaginem se a Amazon libera a devolução de produtos sem justificativa plausível, com frete grátis e todas as facilidades encontradas nos Estados Unidos. Como seria? Um caos, certamente!

Ainda existem outros serviços bacanas na Amazon, como o fato de você poder deixar uma compra agendada e a cada "x" dias receber um produto determinado na sua casa, quase como se fosse a assinatura de um produto, ganhando entre 5% a 10% de desconto por sua fidelidade. Ou ainda o fato de o cartão de crédito só ser cobrado de fato quando eles despacham o produto e não quando você efetua a compra no site, algo a meu ver lógico, afinal, porque eles vão debitar seu cartão se o produto ainda está com eles? O mais justo é checar o cartão no ato da compra, para evitar fraudes, porém cobrar a venda somente quando o produto for enviado para o consumidor. Quanto a esses serviços não sou pessimista e não vejo porque não sejam aplicados por aqui.

Por último deixei para comentar o fato que me revoltou hoje. O Black Friday (ou seria Black Fake?)! Que pode ser resumido como o dia dos grandes descontos. Já viram os produtos que passaram pela Amazon hoje? Grandes descontos em produtos que as pessoas realmente querem comprar. Vai uma trilogia do senhor dos anéisversão estendida por US$ 58,00? Ou um notebook Asus N56VJ-DH71 com configurações honestas, por U$ 899,00?


Promoções reais para consumidores exigentes.

Espero que todas as suposições que eu fiz acima sejam equívocos da minha parte. Realmente torço que todos os brasileiros tenham, com a chegada da Amazon, acesso a um varejo de qualidade, com atendimento profissional onde a experiência do usuário seja o foco, prioridade máxima da empresa. Vejo isso na Amazon americana, onde sempre fui bem atendido. Mas com o custo Brasil, somado a questões de logística e de infra-estrutura, não vejo como isso possa ser tornar realidade a curto prazo. Mesmo sendo a Amazon o maior de todos os players do setor do varejo. Torço para que eu esteja totalmente enganado...

 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar