Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

GROUPON É EXPULSO DO COMITÊ DE COMPRAS COLETIVAS DA CAMARA-E.NET

10/10/2012

O Comitê de Compras Coletivas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico – camara-e.net, entidade privada que representa as maiores empresas do setor, decidiu excluir, em decisão unânime, o Groupon. O motivo foi "veicular ofertas em desrespeito às normas autorregulatórias criadas pelo próprio comitê".

Segundo o comitê, a sanção foi aplicada após o Groupon ter sido notificado duas vezes por meio de ofícios e, mesmo assim, "permanecer desrespeitando ao Código, veiculando ofertas relativas à venda de smartphones, tablets e celulares não homologados (pela Anatel)".

De acordo com comunicado da entidade, mesmo após o recebimento de notificações, o site continuou publicando ofertas que violavam o inciso VIII do artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90) e consequentemente o Código de Ética e Autorregulamentação do Comitê de Compras Coletivas, especificamente em seus artigos 3º e 8º.

Boas práticas
Com o objetivo de disciplinar a conduta dos sites e estabelecer normas e boas práticas de atuação no setor, As empresas integrantes do Comitê de Compras Coletivas da camara-e.net, grupo do qual fazia parte o Groupon, aprovaram e aderiram, em agosto de 2011, ao Código de Ética e Autorregulamentação (PDF) do setor.

Os sites que desejarem integrar o Comitê de Compras Coletivas devem cumprir seu código e passar pela aprovação de seus integrantes. As empresas que atendem aos requisitos legais, às disposições do Código de Ética, assim como os que preenchem as avaliações promovidas pela camara-e.net, ou por terceiros por ela contratados, recebem o Selo de Excelência do Comitê de Compras Coletivas. O selo permite ao usuário de internet reconhecer quais são os sites que seguem normas de condutas adequadas para atuação no sistema de compras coletivas. Atualmente, são elas: ClickOn, Cupónica, Imperdível, Peixe Urbano e Viajar Barato.  

Em comunicado ao IDG Now!, o Groupon Brasil disse que está "avaliando internamente o assunto para tomar as medidas que se fizerem necessárias".
 
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar