Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ROUBO DE SEGREDOS COMERCIAIS DOS EUA POR CHINA PIORA, DIZ PAINEL

04/10/2012

O roubo de valiosos segredos comerciais dos Estados Unidos pela China, frequentemente obtidos por sofisticados ciberataques, está se tornando um problema mais sério, disseram representantes do setor nesta quarta-feira.

"Este assunto requer mais atenção", disse Jeremie Waterman, chefe da divisão de China da Câmara de Comércio dos EUA, a um painel do governo norte-americano sediado pelo Departamento do Comércio.

"Isso tem crescido substancialmente em importância no último ano, ano e meio", disse Waterman em uma audiência sobre o cumprimento da China às regras da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Em um caso recente, dois cidadãos chineses em Kansas City, Estado norte-americano de Missouri, foram acusados de tentar comprar segredos comerciais roubados por 100 mil dólares da Pittsburgh Corning, uma afiliada da PPG Industries e da Corning

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, a dupla estava tentando comprar segredos comerciais para que uma fábrica rival pudesse ser aberta na China.

A gigante do setor químico Dupont também está no meio de uma batalha legal sobre alegações de que a chinesa Pangang Group Steel Vanadium & Titanium conspirou para roubar seus segredos.

Peter Dent, vice-presidente da Electron Energy, disse ao painel que tanto grandes quanto pequenas companhias norte-americanas enfrentam "persistentes e cada vez mais complexos ciberataques (da China) em um esforço de roubar propriedade intelectual".

Defender segredos comerciais contra os ataques foi "muito difícil" e custoso, disse ele.

As companhias precisam que o governo dos EUA tome medidas, que podem incluir a suspensão de "benefícios comerciais a países que patrocinam essas ações", disse Dent.

Tanto a Câmara de Comércio dos EUA quanto o Conselho de Negócios EUA-China pediram também nesta quarta-feira por um "tratado de investimento bilateral" que abriria áreas da economia chinesa a investimentos de companhias norte-americanas.

A China mantém restrições quanto ao controle de capital estrangeiro em suas empresas em quase 100 por cento dos setores, segundo as instituições comerciais.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar