Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

THUNDERBOLT AINDA É INVIÁVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS, DIZ INTEL

14/09/2012

A tecnologia de interconexão Thunderbolt pode demorar um pouco para chegar a smartphones e tablets por conta de questões de consumo de energia que precisam ser resolvidas, segundo o que disseram executivos da Intel nesta quarta-feira (12/9).

A fabricante de chips gostaria de levar a interface aos gadgets portáteis, mas há vantagens e desvantagens que devem ser levadas em conta quando se utiliza a tecnologia em dispositivos de baixa potência, disse o diretor de planejamento e marketing do Thunderbolt na Intel, Jason Ziller, depois de uma apresentação no Intel Developer Forum, em San Francisco.

Em vez disso, o Thunderbolt pode encontrar o seu caminho em ultrabooks híbridos baseados em processadores Intel Core, disse Ziller. Os híbridos de tablet e PC possuem maior potência e são mais adequados para lidar com as altas taxas de transferência de dados de 10 Gbps (gigabits por segundo) possíveis com o barramento de alta velocidade.

A Intel inicialmente previu a tecnologia como algo que pudesse ser usado tanto em computadores pessoais quanto em dispositivos móveis, mas hoje ela é encontrada principalmente em Macs e PCs com Windows da Lenovo, Acer, Asus e HP. 

O foco da companhia agora é justamente garantir que o Thunderbolt funcione bem nas plataformas Windows e Mac. Funcionários da empresa não puderam fornecer um cronograma para quando ela pode chegar a dispositivos móveis.

A tecnologia Thunderbolt foi desenvolvida em conjunto pela Intel e pela Apple e lançada oficialmente em 2011. Existem atualmente 37 periféricos disponíveis para Macs equipados com ela, incluindo dispositivos de armazenamento externo e um monitor. A Intel disse que espera ter 100 periféricos Thunderbolt no mercado até o final do ano.

Os cabos da interface são atualmente baseados em cobre e podem transferir cerca de 10 watts de potência. Um dispositivo móvel de 2 watts não pode suportar a atual implementação do Thunderbolt, afirmou o engenheiro da Intel, Jeff Hockert.

A especificação de potência exige 10 watts, mas, devido à queda de energia, a empresa oficialmente especifica 8,5 watts nos cabos. A Intel também está de olho em uma nova interconexão para 2015, que utiliza uma combinação de eletrônica e óptica para transferir dados a 50Gbps. A fabricante de chips espera aumentar as taxas de transferência de dados no Thunderbolt no futuro por meio de suporte para PCI-Express 3.0.

A Intel também disse que os cabos ópticos vão se tornar uma opção no quarto trimestre e serão capazes de se estender até 30 metros - mas não vão carregar energia, o que significa que periféricos podem precisar ser conectados a tomadas.

Os cabos de cobre possuem apenas alguns metros de comprimento, mas pode fornecer energia a curtas distâncias. A Sumitomo já está entregando ao mercado amostras de cabos ópticos de 20 metros de comprimento. A "segunda geração" de cabos de cobre Thunderbolt também estará disponível a preços mais baixos, disse a Intel. Uma redução de 25% do custo de produção ajudou a derrubar o preço, disse Hockert.

Uma alternativa ao Thunderbolt é o USB 3.0, que o Fórum USB Implementers disse, nesta semana, que vai chegar a dispositivos móveis, como smartphones, até o final deste ano.

 
 
 
 
Fonte: PcWorld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar