Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ESTUDO PROVA QUE ESTRELA BINÁRIA PODE TER VÁRIOS PLANETAS

30/08/2012

A possibilidade de encontrar vida extraterrestre parece menos remota após o anúncio de cientistas americanos sobre a descoberta da primeira prova de que uma estrela binária pode ter múltiplos planetas ao seu redor.

"Estamos vendo cada vez mais planetas em mais e mais situações assim", disse à AFP Jerome Orosz, astrônomo da Universidade Estatal de San Diego, Califórnia (oeste).

"Estamos quase a ponto de olhar para uma estrela e dizer, ´Por que não tem um planeta?", acrescentou.

Orosz integra uma equipe que observou pelo menos dois planetas que giram ao redor de uma estrela binária, isto é, um par de estrelas que orbitam entre si.

"Depois que se forma uma estrela, resta algum material, que finalmente forma a Terra e os planetas", explicou Orosz.

"A pergunta era, se colocássemos estes restos ao redor de uma estrela binária, sobreviveriam tempo suficiente para formar planetas? A resposta é sim", acrescentou.

Os planetas recém-descobertos foram encontrados ao redor do Kepler-47, um astro do tamanho do sol que orbita ao redor de outro menor, com um terço do seu tamanho.

O telescópio Kepler, da Nasa, um satélite artificial que orbita ao redor do sol buscando planetas extrassolares, já encontrou corpos celestes em outras quatro estrelas binárias.

Mas esta é a primeira vez que os astrônomos têm prova da existência de mais de um planeta em torno de um sistema binário.

Talvez haja um terceiro planeta lá também, disse Orosz, embora para equipe, que publicou suas pesquisas na revista Science, ainda sejam necessários mais dados.

Os planetas descobertos são gigantes gasosos do tamanho de Netuno. Mas ambos orbitam muito perto de seus sóis.

De fato, um dos planetas identificados, o que se encontra no exterior, está no que os cientistas chamam de "zona habitável", não muito próxima e quente, nem distante e fria demais.

Isto também é inédito e é muito emocionante porque representa um passo a mais rumo à descoberta de um planeta do tamanho da Terra nesta zona habitável, segundo os cientistas.

"Agora podemos encontrar planetas neste tipo de órbitas. Assim, o passo seguinte é a busca de corpos cada vez menores", explicou Orosz, algo que fica mais fácil com o acúmulo de dados.

"Se a gente sai à noite e olha para o céu, quase a metade das estrelas que vemos é de estrelas binárias", disse Orosz.

"Assim, o fato de que se possa encontrar planetas em áreas habitáveis das estrelas binárias significa que há muito mais lugares" onde se poderia encontrar vida extraterrestre, concluiu.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar