Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

GIGANTES FECHAM PARCERIA PARA A PRÓXIMA GERAÇÃO DA TECNOLOGIA POR TRÁS DO FILME ?AVATAR?

17/08/2012

A Autodesk, Inc. formou parceria com a Lightstorm Entertainment e a Weta Digital para desenvolver a próxima geração da tecnologia de produção virtual para a indústria cinematográfica.

A Lightstorm Entertainment, produtora do diretor James Cameron, é responsável pela sensação das bilheterias de 2009, ?Avatar?. Já a Weta Digital uma das principais empresas de efeitos visuais no mundo,  tem o histórico de ampliar os limites dos efeitos visuais e da computação gráfica.  ?Planeta dos Macacos?, ?A Origem? e ?As Aventuras de Tintin? são alguns dos exemplos de seu trabalho.

As três empresas trabalham juntas a fim de expandir, ainda mais, os fluxos de trabalho e tecnologias de produção virtual desenvolvidos pela primeira vez para ?Avatar.? Determinadas ferramentas e aprimoramentos, resultantes da colaboração, foram incorporados em alguns produtos mais recentes da Autodesk Entertainment Creation Suites. Esses e outros desenvolvimentos, oriundos dessa parceria, serão usados na produção da sequência de ?Avatar?.


(James Cameron, diretor de Avatar)


Para James Cameron, ?a criação do canal de processamento de produção virtual em Avatar foi um método inovador, que nos possibilitou apenas arranhar a superfície do que é possível fazer. Junto com a Autodesk e a Weta Digital, usamos o conhecimento obtido com essa primeira experiência para definir  o processo ideal e, depois, desenvolver a tecnologia necessária para dinamizar nosso fluxo de trabalho. Com o resultado final, eu poderei dedicar uma parte maior da minha energia ao lado criativo da filmagem, e me aprofundar em tudo o que é possível fazer com a produção virtual?, finaliza o diretor.

Essa possibilidade envolve a aplicação dos conjuntos de ferramentas digitais ao processo inteiro de produção de filmes, e permite que o diretor e outros colaboradores de criação vejam seus recursos em um mundo interativo, ao vivo, no set, aprimorando o processo criativo.
A interatividade não linear abrange desde a construção de mundos digitais, o desenvolvimento de personagens e a visualização prévia, à captura de atuação, cinematografia virtual e todas as demais fases até a renderização final. Usada pela primeira vez por James Cameron em "Avatar", posteriormente também foi adotada por diretores como Steven Spielberg e Peter Jackson.

Para desenvolver a próxima geração da tecnologia de produção virtual, a Weta Digital forjou uma relação estreita com a Autodesk e sua equipe de desenvolvimento. Como o estúdio de efeitos visuais de ?Avatar? e ?As Aventuras de Tintin?, bem como do filme ainda por estrear  ?The Hobbit: An Unexpected Journey?, estabeleceu sua especialização no processo de produção virtual.

De acordo com supervisor sênior de efeitos digitais da Weta Digital, Joe Letteri: ?Depois de concluir ?Avatar?, havia uma compreensão clara dos desenvolvimentos necessários para tornar o processo mais criativo e eficiente. Sabíamos que, ao alinhar melhor todo o canal de processamento digital com o estilo tradicional de filmagem nos sets, poderíamos abrir novas possibilidades para diretores fazerem seus filmes.  Quando estamos explorando um novo território, é inestimável ter um parceiro como a Autodesk, cujas ferramentas são a plataforma e o padrão da indústria?.

?A Lightstorm e a Weta Digital estiveram por trás de alguns dos filmes visualmente mais surpreendentes da última década. Ao unirem seu talento e experiência com nosso conhecimento, estamos criando ferramentas para ajudar nossos clientes a aproveitarem melhor os desenvolvimentos na produção de filmes e efeitos visuais?, complementa Carl Bass, CEO da Autodesk.

Como parte das Entertainment Creation Suites 2013, as melhorias na produção virtual ajudarão os estúdios de todos os portes a adotarem esse processo de produção cinematográfica. As ferramentas, encontradas no software Autodesk MotionBuilder e Autodesk Maya, ajudarão no desempenho, no fluxo de trabalho e na fidelidade das imagens.

O MotionBuilder agora carrega, salva e combina arquivos com uma rapidez muito maior do que antes, e está mais integrado ao fluxo de trabalho editorial. A captura de movimentos e dados de entrada, ao vivo, pode ser gravada em disco no editor não linear do software. Assim, os diretores podem gravar várias tomadas em uma sequência rápida; os atores podem atuar em suas cenas sem interrupção e a equipe de palco pode trabalhar imediatamente com o Editorial para construir e refinar cenas.

Além disso, o software agora inclui o suporte para saída de vídeo HD SDI, que permite que o MotionBuilder seja integrado a sistemas de difusão de vídeo, destinados a reduzir a zero os quadros de atraso. Isto dá aos visionários criativos e operadores de câmera um feedback mais preciso em tempo real sobre seu trabalho de câmera virtual.
 
 
 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar