Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

STARTUPS DE SEGURANÇA EM ALTA NO MERCADO

13/08/2012

Um estudo publicado pelo New York Times e realizado pela International Data Corporation revelou que as grandes companhias como Google e LinkedIn esperam gastar US$ 32,8 bilhões em segurança neste ano, um aumento de 9% em relação ao ano passado. A pesquisa ainda descobriu que pequenas e médias empresas também planejam investir mais em segurança que com qualquer outro tipo de tecnologia.

A notícia parece animadora especialmente para as startups focadas em segurança que estão nascendo em diversos cantos do mundo. Isso porque, segundo Ted Schlein, sócio da empresa de venture capital Kleiner Perkins Caulfiel & Byers, os executivos estão percebendo que não adianta mais investir bilhões de dólares nas empresas tradicionais de segurança.

De acordo com Schlein, para eles é melhor trazer as práticas e tecnologias para dentro da empresa do que deixar nas mãos de terceiros. Algo que pode confirmar esta tendência, segundo o especialista, são as recentes aquisições. A Apple, por exemplo, comprou a AuthenTec e o Twitter adquiriu a Whysper Systems, ambas pequenas empresas do setor.

Mas o diretor sênior de mercados emergentes da McAfee, Brian Contos, não vê este movimento como abandono das tradicionais empresas de segurança e sim como uma evolução natural do mercado, em que haverá uma integração maior entre startups e grandes companhias. "As organizações sempre comprarão as soluções que considerarem mais adequadas para seus modelos de negócios. As startups de segurança são parceiros da McAfee e nós integramos nossas soluções com as deles", comentou em entrevista para o Olhar Digital.

Para ele, as organizações querem mudar, pois o que há 20 anos mantinha as empresas seguras já não é mais o suficiente. "As empresas querem abraçar as tendências de TI, como computação em nuvem e mobilidade, mas necessitam de uma segurança abrangente que auxilie seus negócios, além de terem um impacto positivo do retorno sobre o investimento (ROI)", diz.

"Em resumo, os clientes querem menor complexidade, mais segurança, melhor e maior alinhamento com suas prioridades de negócios. A segurança tornou-se uma função dos negócios e, como tal, a maioria das empresas opta por fornecedores de segurança como nós que estamos acompanhando as ciberameaças por mais de duas décadas", completa.

Independente se as startups vão ou não dominar o mercado de segurança, este é o momento delas crescerem, seja por serem incorporadas às grandes empresas ou integrando suas soluções às tecnologias de empresas tradicionais de antivírus. Portanto, se você tem uma empresa nesta área, siga em frente e vá atrás de investidores, as chances de vocês conseguir se destacar são altas.


 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar