Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CLARO ESPERA SER LIBERADA NESTA SEMANA PARA VENDER NOVAS LINHAS DE CELULAR

31/07/2012

O presidente da Claro, Carlos Zenteno, disse nesta segunda-feira (30) que a operadora espera ser liberada para vender novas linhas de celulares e conexões de internet ainda esta semana. A empresa apresentou nesta segunda os últimos ajustes pedidos pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), como demanda de tráfego, demanda para eventos especiais e detalhamento de investimentos por estado e por indicador pedido pela agência.

?Entendemos que toda a informação está pronta, todos os detalhes já foram entregues. Estamos com boa expectativa de que seja resolvido ainda nesta semana?, disse Zenteno, depois de se reunir com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Segundo ele, depois da apresentação, a Anatel pediu apenas alguns ajustes de forma no plano de investimentos da empresa.

Desde a última segunda (23), a Claro está proibida de vender novas linhas em Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. De acordo com o plano apresentado à agência reguladora, a Claro promete investir, até o final do ano, R$ 3,5 bilhões no aumento da capacidade de sua rede em todo o país.

  • Arte/UOL

Regiões
A TIM é a operadora mais afetada pela proibição da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Somadas, as regiões onde a TIM está suspensa responderam por 63,73% das linhas da operadora em junho (no mês passado eram 68,87 milhões de linhas da TIM em todo o país, segundo dados da Anatel).

Os Estados onde a Claro está proibida de vender novos chips (São Paulo, Santa Catarina e Sergipe) responderam por 28,85% de de suas linhas ativas. O maior público-alvo da empresa encontra-se em São Paulo: de cada dez linhas vendidas pela Claro no país, quatro são paulistas (25,54%).

Já a Oi deve sentir menor impacto em suas vendas. A empresa não pode vender chips no Amazonas, Amapá, Mato Grosso do Sul, Roraima e Rio Grande do Sul, mas esses Estados representaram apenas 5,75% das linhas ativas da empresa em junho. A maior perda deve acontecer no mercado gaúcho, que respondeu por 4,29% das linhas ativas da Oi.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar