Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CLARO ENTREGA À ANATEL PROPOSTA FINAL DE SEU PLANO DE AÇÕES

25/07/2012

A Claro entregou nesta terça-feira (24) à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) a proposta final de seu plano de ação, com as alterações solicitadas pela agência na segunda-feira (23).

?Entre as mudanças enviadas estão novas projeções de tráfego e ações para melhoria do desempenho da operadora?, diz comunicado da empresa.

?A Claro também se comprometeu a garantir a qualidade na rede de transmissão e a oferecer a capacidade necessária para atender a demanda durante a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil, incluindo a instalação de um cabo submarino que ligará o país até os Estados Unidos, passando pelo Rio de Janeiro e Fortaleza.?

Além da Claro, TIM e Oi estão proibidas de venderem serviços de voz e dados para novos clientes desde segunda-feira. A medida cautelar da Anatel contra as três operadoras não tem prazo para ser suspensa, pois depende que os planos de ação e melhoria sejam apresentados pelas empresas e aprovados pelo órgão governamental. Nesta terça, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, estimou em 15 dias o prazo para que a solução dos problemas esteja encaminhada, e as vendas sejam retomadas.

Também nesta terça, a TIM entregou um documento de 800 páginas à Anatel, com informações sobre seus planos para melhora na qualidade dos serviços aos clientes. A agência afirmou que cobrará mais detalhes sobre a previsão de demanda da operadora.

  • Arte/UOL

Regiões 

Impedida de vender novos chips em 18 Estados e no Distrito Federal, a TIM é a operadora mais afetada pela proibição da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Somadas, essas regiões responderam por 63,73% das linhas da operadora em junho (no mês passado foram 68,87 milhões de novas linhas da TIM em todo o país, segundo dados da Anatel).

Os Estados onde a Claro está proibida de vender novos chips (São Paulo, Santa Catarina e Sergipe) responderam por 28,85% de de suas linhas ativas. O maior público-alvo da empresa encontra-se em São Paulo: de cada dez linhas vendidas pela Claro no país, quatro são paulistas (25,54%).

Já a Oi deve sentir menor impacto em suas vendas. A empresa não pode vender chips no Amazonas, Amapá, Mato Grosso do Sul, Roraima e Rio Grande do Sul, mas esses Estados representaram apenas 5,75% das linhas ativas da empresa em junho. A maior perda deve acontecer no mercado gaúcho, que respondeu por 4,29% das linhas ativas da Oi.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar