Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CÉREBRO CRIADO PELO GOOGLE APRENDE A IDENTIFICAR O QUE MAIS AMAMOS: GATOS

27/06/2012

Eu sempre digo que o maravilhoso mundo proposto por Isaac Asimov, com robôs inteligentes e tals, será realidade enquanto eu ainda estiver vivo ? e olha que isso não é tanto tempo assim.

Para reforçar minha tese pró-Eu, Robô (o livro, não a porcaria do filme), eis que pesquisadores do Google anunciaram um grande avanço na área de inteligência artificial. Usando 16 mil processadores, criaram uma ?rede neural? com 1 bilhão de conexões capaz de aprender a identificar coisas.

Eu acho que vi...bem, você sabe

Eu acho que vi...bem, você sabe

Esse cérebro foi ?solto? na internet e apresentado a 10 milhões de imagens (200 x 200 pixels) extraídas de vídeos no YouTube. O resultado? Mesmo sem que as imagens fossem identificadas, ele aprendeu a identificar o que (eu) mais amamos: gatos, gatinhos.

A pesquisa será apresentada em uma conferência em Edimburgo, Escócia, terra do malte e do Willie, o zelador da escola do Bart.

De acordo com os pesquisadores, o sistema saiu-se bem melhor do que o esperado, com taxa de acerto de quase 16%, bem superior à obtida anteriormente ? o que surpreendeu os cientistas.

Antes que você diga o quão inútil é uma máquina que identifique gatos, a pesquisa aponta para novas fronteiras nas áreas de visão e percepção eletrônicas, reconhecimento de fala e tradução automática.

?Nós não dissemos ao sistema ?isso é um gato?, disse Jeff Dean, um dos pesquisadores, em entrevista ao The New York Times. ?Ele basicamente inventou o conceito de um, após ver tantas imagens?, contou.

A comparação com o cérebro humano, claro, ainda é perigosa. Nosso cérebro é muito, mas muito mais complexo ? mesmo de quem assiste BBB. No entanto, o caminho está dado. É uma questão de evolução

 
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar