Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ASSIM COMO O STUXNET, FLAME FOI CRIADO POR EUA E ISRAEL

21/06/2012

É certo que o Flame, ciberarma recém-descoberta pela Kaspersky, possui algumas conexões com o Stuxnet. E agora sabe-se que, assim como este último, o novo malware também foi desenvolvido pelos Estados Unidos em conjunto com Israel para atrasar o progresso do programa nuclear iraniano.

Oficiais americanos não-identificados
contaram ao Washington Post
que o código malicioso monitorou e mapeou secretamente as redes de computadores do Irã, enviando aos americanos um fluxo constante de informações para que eles pudessem se preparar para uma guerra cibernética.

Os esforços envolveram a Agência de Segurança Nacional (NSA), a CIA e o exército de Israel e incluíam o uso de softwares destrutivos, como o Stuxnet, para causar o mal funcionamento das centrífugas de enriquecimento de urânio no país inimigo.


Um alto funcionário da Inteligência americana afirmou à publicação que o Flame e o Stuxnet eram elementos de uma ação muito maior que continua até hoje. ?As investidas cibernéticas contra o programa iraniano estão muito mais adiantadas.?

O Flame
foi descoberto pela Kaspersky no final de maio
, mas ele é mais antigo que o Stuxnet, que surgiu em 2009. Na verdade, o malware é um componente do Stuxnet, responsável por explorar vulnerabilidades 0-day no sistema e propagar-se através de pendrives infectados.

Os especialistas em segurança dizem que o Flame é a ciberarma mais complexa já feita. Ele é capaz de se replicar mesmo em redes seguras e, então, controlar cada função dos computadores e espioná-los, enviando informações aos seus criadores. Para realizar esse serviço,o código consegue ativar microfones e câmeras, registrar cada tecla pressionada, tirar screenshots, extrair a localização geográfica de fotografias e até enviar e receber instruções e dados através de comandos por Bluetooth.

Assim como o Stuxnet, o Flame também foi desenvolvido durante a operação Olympic Games, que começou na gestão do presidente George W. Bush. Essas ameaças já foram descobertas, mas, embora possam ser combatidas, ?não significa que outras ferramentas não estão em perfeito funcionamento?, declarou outro oficial americano ao Washington Post.

A Kaspersky, na semana passada, informou acreditar que
os grupos responsáveis pelo Flame e pelo Stuxnet trabalharam em conjunto
. Assim, o Flame foi uma espécie de pontapé inicial para o programa de ataque às usinas nucleares do Irã.

O Stuxnet foi criado em 2009 e começou a aparecer na mídia
após infectar a usina nuclear de Bushehr, no Irã. Quem atribuiu sua criação aos americanos e israelenses foi o jornal The New York Times, que detalhou a operação Olympic Games
.

 
 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar