Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ANTIRRETROVIRAIS PREVENTIVOS REDUZEM PROPAGAÇÃO DA AIDS

17/04/2012

Oferecer tratamento antirretroviral de forma preventiva a pessoas com alto risco de se infectar com o vírus da Aids é viável e reduz significativamente a propagação da infecção, revela um estudo divulgado nesta segunda-feira nos Estados Unidos.

Os autores do estudo, publicado na revista Annals of Internal Medicine, com data de 17 de abril, analisaram o custo/benefício da combinação de antirretrovirais tenofovir-emtricitabina, apresentado como um comprimido da marca Truvada.

A eficácia preventiva deste coquetel ficou em evidência após testes clínicos publicados em 2010 na revista New England Journal of Medicine.

A Truvada reduziu o risco de infecção pelo vírus responsável pela Aids, o HIV, em 44% entre os participantes que o tomaram de forma mais ou menos cotidiana, segundo os pesquisadores da Universidade de Stanford, Califórnia.

Entre os que tomaram a medicação todos os dias sem exceção, o risco de contágio reduziu-se em 73%, segundo o teste clínico.

Os pesquisadores analisaram posteriormente a rentabilidade de prescrever o Truvada diariamente a grandes populações, usando uma técnica conhecida como profilaxis pré-exposição ao HIV.

Os cientistas desenvolveram um modelo econômico centrado em homossexuais com vários parceiros, grupo que representa mais da metade das novas infecções por Aids a cada ano nos Estados Unidos.

Os especialistas levaram em conta os 26 dólares diários de Truvada (cerca de 10.000 dólares anuais), assim como os gastos com visitas médicas e monitoramento da função renal afetada por estes antirretrovirais e de revisão periódica da Aids e outras doenças de transmissão sexual.

Sem um tratamento preventivo com estes antirretrovirais, calcula-se que haveria mais de 490.000 novas infecções entre a população homossexual nos Estados Unidos nos próximos 20 anos.

Se apenas 20% desses homens seguissem o tratamento diariamente, haveria quase 63.000 novas infecções a menos no mesmo período.

No entanto, como os custos continuam sendo muito altos, os autores do estudo aplicaram seu modelo a 20% dos homossexuais com vários parceiros sexuais.

Nesta última hipótese, a terapia preventiva com Truvada evitaria 41.000 novas infecções em um período de 20 anos a um custo total de 16,6 bilhões de dólares, ou 830 milhões de dólares por ano, o que segundo os pesquisadores seria economicamente viável.

Nos Estados Unidos, foram registradas cerca de 50.000 novas infecções anuais por HIV de 2006 a 2009 e cerca de 16.000 americanos morreram a cada ano durante este período, segundo os Centros para o Controle e a Prevenção de Doenças (CDC).
 
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar