Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CONEXÃO ULTRARRÁPIDA E FURTOS MARCAM QUINTA EDIÇÃO DA CAMPUS PARTY NO BRASIL

13/02/2012 01:00:00

Com conexão recorde de 20 Gbps (gigabits por segundo), a quinta edição brasileira do encontro de tecnologia Campus Party foi realizada pela primeira vez no Centro de Exposições Anhembi durante esta semana. Neste domingo (12), quando o evento chega ao fim, é literalmente hora de levantar acampamento.

A empolgação dos chamados campuseiros com a possibilidade de baixar e subir conteúdo na internet tão rapidamente), no entanto, dividiu espaço com diversos relatos de furto, a detenção em flagrante de um suspeito de cometer esse crime e protestos dos participantes contra a falta de segurança no local.

Em sua primeira edição no Brasil, em 2008, o evento internacional para fãs de tecnologia tinha conexão de 5 Gbps. No ano seguinte, a capacidade dobrou e se manteve assim até 2011. A velocidade anunciada para 2012 no Anhembi (20 Gbps) corresponde a 20 mil vezes a de 1 Mbps, proposta pelo Governo no PNBL (Plano Nacional de Banda Larga). Como nos outros anos, no entanto, a capacidade de conexão -- dividida entre os usuários -- só foi oferecida via cabo. Nada de Wi-Fi.

Os chamados campuseiros baixaram em seus computadores filmes, séries e músicas. No entanto, segundo a organização, a quantidade de arquivos subidos era maior do que a de conteúdo baixado. Em entrevista ao UOL Tecnologia, o diretor de inovação Polkan Garcia deu os números registrados na ocasião: 7 GB de upload contra 5 GB de download.

Os participantes pagaram de R$ 150 a R$ 300 para passar a semana no local, com uma agenda intensa de palestras e debates. Também segundo a organização, dos 7.000 pagantes, a expectativa era que 5.000 ficassem acampados no local. Outras cerca de 200 mil pessoas eram esperadas na área de exposição com acesso gratuito, onde o público podia participar de diversas atividades: jogar videogames, fazer maquiagem, barba e até tirar uma foto com Silvio Santos. Não o verdadeiro, claro.

O evento proíbe a entrada e consumo de bebida alcoólica e, por isso, alguns campuseiros criaram a Campus Party B, realizada fora do Anhembi a partir das 23h. Os participantes iam ao evento extraoficial para conhecer gente nova, tomar cervejas e, quem sabe, se dar bem (naquele sentido, mesmo). Por R$ 15, os organizadores da Campus Party B ofereciam uma noite open bar -- os vendedores ambulantes cobravam R$ 10 por três latinhas.

Calor

Com os termômetros em São Paulo acima dos 30ºC durante toda a semana, o camping para fãs de tecnologia testou a tolerância do público ao calor. A organização informou que o espaço possui 260 ventiladores fixos (localizados no teto do pavilhão nas áreas de exposição, camping e arena), mas nem eles foram suficientes para garantir uma temperatura minimamente suportável. Foram então providenciados mais 34 ventiladores móveis para a arena.

O jeito foi improvisar: muitos campuseiros levaram seus próprios ventiladores de casa. João Pedro, 18, levou 20 kg em equipamentos do bairro de Higienópolis em São Paulo, exceto o item praticamente indispensável na Campus Party. ?Quando percebi o calor que estava aqui, pedi para minha mãe trazer o ventilador de casa pra mim.?

Na contramão do cenário de intenso calor está o hidrogênio que foi levado ao local para o recorde de overclocking (técnica que força dispositivos do computador a uma potência maior que a convencional;  por conta do elemento, as peças chegam a 100º C negativos.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar