Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

APÓS PROTESTOS, SENADORES E DEPUTADOS AMERICANOS RECUAM NO APOIO À SOPA

20/01/2012 01:00:00

Os protestos on-line de quarta (18) contra dois projetos de lei antipirataria atualmente no Congresso dos EUA parecem ter surtido efeito. Mais de 162 milhões de pessoas viram a mensagem de protesto na Wikipedia, 18 senadores recuaram em seu apoio à proposta, e 4,5 milhões de pessoas assinaram uma petição contra os projetos.

O The New York Times disse que o ativismo on-line é "uma nova Era para a política em relação à indústria de tecnologia." Já para o CEO da MPAA (associação dos estúdios) e ex-senador dos EUA, Chris Dodd, os protestos foram um "abuso de poder" que transformou os usuários em "peões corporativos".

Muitas empresas de tecnologia são contra a SOPA e a PIPA, argumentando que elas vão minar a internet livre e aberta. Críticos dizem que a legislação autoriza o governo e entidades privadas a censurarem a web, exigindo que sites de busca e provedores bloqueiem o acesso a sites acusados ​​de violação de direitos autorais.

Veja um balanço dos protestos:

  • 4,5 milhões de pessoas assinaram a petição do Google anti-SOPA/PIPA, de acordo com o Los Angeles Times
  • 25 Senadores agora se opõem PIPA (a versão do Senado da SOPA), de acordo com a ONG OpenCongress
  • Circularam no Twitter mais de 2,4 milhões de posts contra as leis
  • Dois co-patrocinadores do SOPA e vários outros retiraram o apoio ao projeto na Câmara
  • Mais de 162 milhões de pessoas viram a página de protesto na Wikipedia
  • Mais de 8 milhões de pessoas usaram as ferramentas de busca da Wikipedia para procurar informações de contato de deputados e senadores americanos

Já o CEO da News Corp, Rupert Murdoch, acusou a "blogosfera" de "aterrorizar muitos senadores e deputados que haviam se comprometido com os projetos.

Enquanto os protestos podem ter aumentado a conscientização sobre o impacto potencialmente negativo sobre a Internet da legislação antipirataria, a luta sobre como lidar com a pirataria prossegue. O presidente do Comitê Judiciário da Câmara Lamar Smith, deputado do Texas, prometeu continuar trabalhando para aprovar o projeto. A votação da PIPA no Senado está prevista para 24 de janeiro.
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar