Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CRACKERS BRASILEIROS AGORA OFERECEM ´CURSOS´ ONLINE

18/01/2012 01:00:00

Confiantes na impunidade, principalmente devido à falta de uma legislação específica, cibercriminosos brasileiros estão oferecendo cursos pagos e até uma "Escola do Crime Online" para quem deseja "entrar no ramo". De acordo com o analista-sênior de malware da Kaspersky Labs para o Brasil, Fabio Assolini, uma busca na rede revela cursos como "Como ser um banker" (especializado em atacar internet banking), "Kit Spammer" e "Como ser um Defacer" (cracker que altera sites).

Kit_banker

"Kit banker" ensina a atacar sites financeiros

"Cada curso tem um pacote bem feito, com detalhes completos da grade de matérias", diz o expert, que dá como exemplo a descrição de ?Como ser um Banker 101?:

"Você vai aprender como os crackers assumem o controle de computadores corporativos ou domésticos, como funciona a engenharia social, como funciona o "auto-infectar", como usar as fontes (de Cavalos de Tróia), como manipular os plugins de segurança instalado em navegadores, antivírus e firewalls", diz o texto. 

Leia também: Conhece os Rauls? Pois devia: eles estão de olho no seu dinheiro

Além disso, "você vai descobrir como os crackers clonam cartões de crédito, talões de cheque, IDs, carteiras de motorista, certidões de nascimento e outros documentos. Você vai aprender como os crackers podem invadir sites de e-commerce que guardam números de cartão de crédito e o que eles fazem com esses dados. Você vai aprender sobre as leis no Brasil, qual a sentença se for pego, assim como os riscos que você corre e como evitar ser descoberto".

Os cibercriminosos, conhecidos por "Rauls", também oferecem cursos para spammers e até dão brinde: uma lista com 60 milhões de e-mails.

Kit_spammer

Kit spammer vem com lista de e-mails

De acordo com Assolini, as aulas podem ser online ou até com presença física. O endereço é publicado na web, como se fosse uma escola comum. No primeiro semestre do ano passado, os bancos anunciaram perdas de quase 700 milhões de reais devido a fraudes via internet.

"Já está mais do que na hora de os políticos aprovarem uma lei nacional contra o cibercrime, que permita à polícia apertar o cerco contra essa prática", defende o pesquisador.

 
 
Fonte: PcWorld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar