Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

APÓS ATAQUES, CHINA PROCURA MAIS SEGURANÇA CONTRA HACKERS

02/01/2012 01:00:00

O governo chinês está trabalhando com serviços nacionais de busca como o Baidu e Sohu.com, e junto a instituições financeiras, para prevenir ataques de phishing contra internautas chineses desprevenidos.

O Ministério da Segurança Pública anunciou na sexta-feira que trabalharia com 10 serviços de busca chineses a fim de proteger os rankings dos sites de instituições financeiras, a fim de reduzir a chance de que internautas sejam iludidos por sites de phishing.

Um ataque de phishing ocorre quando o usuário é persuadido a prover seu nome de usuário e senha em uma falsa página de Internet que se assemelha muito à original.

A colaboração fará com que os sites oficiais de diversos bancos chineses, como o Banco Agrícola da China e o Banco de Construção da China tenham seus nomes no primeiro lugar do ranking quando o usuário realizar buscas, anunciou o Ministério em uma circular na sexta-feira.

A medida surge depois que as autoridades chinesas apelaram por mais segurança na Internet, quarta-feira, depois de uma série de vazamentos de dados pessoais que alarmou a comunidade online e levou a apelos por fiscalização mais intensa daqueles que têm acesso a informações online.

A China tem o maior número de internautas do planeta, 485 milhões, informou a mídia estatal no mês passado, e a despeito da censura e fiscalização intensas online, muitos usuários estão furiosos com as informações sobre vazamentos de dados, e suas implicações.

Os nomes de usuário, senhas e endereços de e-mail de mais de seis milhões de contas no CSDN, um site destinado a programadores, foram obtidos por hackers, reportou a agência de notícias Xinhua na semana passada, mencionando uma produtora de software antivírus que descobriu o problema. O popular site de redes sociais Tyana também foi atingido.

Na sexta-feira, o jornal Global Times descreveu a situação de segurança da Internet na China como "muito perigosa", afirmando que os vazamentos haviam "causado alarme na sociedade chinesa".

"O departamento vê o recente vazamento de informações de usuários como séria violação dos direitos de usuários chineses e ameaça à segurança da Internet. E condena vigorosamente esse comportamento", afirmou o ministério em comunicado.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar