Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CRIMES NA WEB: NOVA NEGOCIAÇÃO PODE APROXIMAR PL AZEREDO DE PROPOSTA ALTERNATIVA

27/10/2011 01:00:00

Um novo acordo adiou a votação do projeto de lei sobre crimes cometidos pela Internet, prevista para esta quarta-feira, 26/10. O acerto entre a liderança do governo e a presidência da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara prevê mais duas semanas de prazo para (mais) uma tentativa de acordo sobre o texto, cuja versão em discussão é do então senador, agora deputado da própria CCTCI, Eduardo Azeredo (PSDB-MG).

?Não votaremos hoje porque fizemos um entendimento para mais duas semanas. Mas se não houver esse entendimento vamos para o voto no dia 9/11. Não vamos encerrar esse período legislativo com esse projeto engavetado na comissão?, afirmou o presidente da CCTCI, Bruno Araújo (PSDB-PE).

Azeredo, que é novamente relator do projeto 84/99 - por sinal mais conhecido como PL Azeredo - não se mostrou inteiramente satisfeito, mas parece disposto a um acerto que permita a votação do projeto, ainda que isso exija novas mudanças no texto.

?Há uma postergação permanente em busca desse entendimento. De qualquer forma, acredito que podemos chegar a um acerto, até porque o projeto alternativo é muito parecido com o que eu propus, embora restrito a apenas três artigos?, diz o deputado.

É uma sinalização favorável, diante da permanente polêmica sobre o projeto dos crimes cibernéticos - e mais particularmente sobre o substitutivo de Azeredo. Caso se avance em um acordo nessa direção, seriam retirados mais alguns artigos do substitutivo, tipificando basicamente três crimes:

1) Invadir rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado;

2) Utilizar, alterar ou destruir as informações obtidas ou causar dano ao sistema informatizado

3) Inserir ou difundir código malicioso em dispositivo de comunicação, rede de computadores ou sistema informatizado sem a autorização de seu legítimo titular.

Como o projeto original já foi aprovado pela Câmara e depois modificado no Senado, eventuais mudanças na proposta só podem se dar com a retirada de dispositivos - ou seja, não é possível incluir alterações.

Daí que o entendimento possa caminhar para limitar o projeto aos três crimes mencionados - o que o deixaria exatamente como a proposta alternativa apresentada por deputados federais contrários ao PL Azeredo.


 
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar