Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

OPINIÃO: DESAPONTADO COM O IPHONE 4S? NÃO DEVERIA

05/10/2011

Mal o evento onde a Apple anunciou o iPhone 4S acabou e começaram a surgir nos blogs e redes sociais comentários de pessoas "desapontadas" com o aparelho. O consenso geral parece ser de que ele é "pouco mais que um iPhone 4", e não traz nenhuma inovação digna de nota.

Mas é aí que o povo se engana. A inovação existe. Não está no processador mais rápido, nem na câmera aprimorada. Nem mesmo no sistema operacional iOS 5.

A verdadeira revolução é um recurso chamado "Siri", um sistema capaz de interpretar (e não apenas reconhecer) comandos de voz e interagir com o usuário de forma natural. Continue lendo para entender como ele funciona, e por que a Apple não fez mudanças dadas como "certas", como uma tela maior ou um design mais fino.

Por que o iPhone 4S não é mais fino ou mais leve?
São vários os motivos. O primeiro é que, com apenas 9,3 mm de espessura, o iPhone 4S não pode ser chamado de trambolho. O design funciona, e a Apple pode não ter visto necessidade de mexer neste ponto. E embora ter o título de "smartphone mais fino do mundo", como o Galaxy S II da Samsung, soe bonito no papel, salvo raríssimas exceções os 0,8mm de diferença não serão sentidos na mão, ou no bolso da calça, do usuário.

O outro motivo é mais prático. Segundo a Business Week, no início da produção do iPhone 4 a Foxconn fez um investimento gigantesco na compra de milhares de unidades de uma máquina especializada para criar a "carcaça" em alumínio do iPhone 4, ao custo de US$ 20 mil cada uma. Ao reaproveitar o design do 4G, Apple e Foxconn amortizam o investimento e reduzem os custos de produção dos novos aparelhos.

Por que ele não tem uma tela maior?
O iPhone 4S tem a mesma tela de 3.5 polegadas que o iPhone 4, enquanto os smartphones Android estão migrando para telas de 4" com quase a mesma resolução (Motorola Atrix e Milestone 3, por exemplo) ou até mesmo maiores, como as de 4.3 polegadas do Samsung Galaxy S II e LG Optimus 3D. Há até rumores de que o próximo "carro-chefe" do sistema da Google, apelidado de Nexus Prime, terá uma tela HD com 4.65 polegadas.

Uma tela maior tem vantagens na hora de consumir conteúdo: navegar na web, assistir vídeo, jogar, etc. Mas também tem desvantagens. Em primeiro lugar, ela implicaria uma mudança no design, nem que para tornar o aparelho um pouco mais largo (o que prejudicaria a questão já levantada aqui de amortização dos investimentos feitos para a produção do 4G e a necessidade de novos investimentos).

Em segundo lugar, quanto maior a tela, maior o consumo de energia. E como a Apple já adicionou um processador dual-core ao iPhone 4S, qualquer outro ponto onde seja possível economizar é importante na hora de manter a mesma autonomia do modelo anterior. Afinal, para abrigar uma bateria maior seria necessária uma mudança no formato.

Por fim, há um problema de "marketing": um dos recursos mais divulgados do iPhone 4 era a tela, batizada de "Retina Display" e com densidade de 330 pontos por polegada (ppi). A densidade é produto da resolução pelo tamanho físico da tela, e se a Apple aumentasse o tamanho, a densidade cairia a ponto da tela não poder mais ser chamada de "Retina Display" (o limite, segundo a Apple, são 300 ppi).

Tecnicamente isso não é ruim: a tela de um Samsung Galaxy S II tem densidade menor que a do iPhone 4 (são 217 ppi) e nem por isso deixa de impressionar. Mas aos olhos dos mais apaixonados por tecnologia, o novo iPhone "perderia" um recurso importante.

Por que o Siri é importante?
Não se engane, o sistema de reconhecimento de voz apresentado pela Apple, batizado de Siri, é algo revolucionário. Ao contrário de sistemas aparentemente similares, como os comandos de voz no Android ou no próprio iPhone 4, o Siri não responde a simples comandos pontuais. Ele é capaz de analisar e compreender o contexto de suas ordens antes de executá-las.

Em um sistema de reconhecimento de voz tradicional, você pode dizer "tempo em São Paulo" e ver a previsão do tempo. Mas se você perguntar "vai chover hoje?" não terá resposta. Já o Siri é capaz de responder a esta pergunta e outras como "devo levar um guarda-chuva?" ou "está fazendo frio?".

Da mesma forma, ele se "lembra" de suas interações anteriores e pode usar esta informação para facilitar interações futuras. Se você recebeu um SMS recente de João, por exemplo, e pede "Marque um almoço com João", Siri sabe de qual João você está falando e já adianta o serviço.

Com o Siri, a Apple muda pela quarta vez a interface homem-máquina. Primeiro foi o teclado, no Apple I. Depois o mouse no Mac. Depois a tela sensível ao toque, no iPhone, e agora o Siri no iPhone 4S.

Com cada mudança, as barreiras para o acesso à tecnologia diminuem. Seu pai pode não saber onde clicar para ver a previsão do tempo em seu iPhone, mas com certeza sabe perguntar se vai chover. E agora o iPhone pode responder.

Vale lembrar que o Siri estará disponível inicialmente apenas nos idiomas inglês, francês e alemão. A Apple não deu uma previsão de quando o suporte a novos idiomas, entre eles o português, será adicionado.

Vale a pena comprar um iPhone 4 agora ou é melhor esperar um 4S?
Recomendamos esperar um pouco antes de comprar um iPhone, mesmo que você não tenha interesse no novo modelo. A chegada do 4S ao mercado irá derrubar os preços do modelo anterior, mesmo aqui no Brasil.

Sem contar que junto com o iPhone 4S a Apple também lançou nos EUA uma versão do iPhone 4 com 8GB de memória interna por US$ 549 (desbloqueado), contra os US$ 649 do modelo anterior nas mesmas condições. E sem dúvida estes aparelhos mais baratos irão aparecer por aqui.

Quanto à sensação de estar comprando um aparelho "ultrapassado", não se preocupe. O iPhone 4 continua sendo um dos melhores aparelhos atualmente disponíveis no mercado. Se você não faz questão de recursos como o Siri (que exige o novo processador dual-core), provavelmente ficará satisfeito com o modelo anterior.

Quem ganha? O Galaxy S II ou o iPhone 4S?
Deixando o sistema operacional e serviços de lado (o que é errado, já que esta é a grande diferença entre os dois produtos) e considerando apenas o hardware, a vantagem é do aparelho da Samsung. A tela é maior (apesar da resolução um pouco menor), o processador é mais rápido (Exynos dual-core a 1.2 GHz, contra um A5 dual-core a 1 GHz), e a memória é expansível com cartões microSD.

Mas a Apple já provou que não é o hardware que importa, e sim a forma como ele é usado e como seus recursos são apresentados ao usuário. Tome o exemplo da video-chamada, que já existia em aparelhos como o Nokia N95 desde 2006, mas só foi popularizada e se tornou algo "desejável" e acessível com o iPhone 4 e o Facetime em 2010. Leve isso em consideração em sua próxima compra.
 
 
 
 
Fonte: IDgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar