Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

FILMES DO NETFLIX EM HD ENGASGAM NA BANDA LARGA BRASILEIRA

15/09/2011

Um site fácil de usar. Um acervo ainda fraco, em que faltam lançamentos e obras de diretores consagrados e de atores famosos. E uma transmissão em streaming que funciona bem com filmes em baixa definição, mas que engasga com longas em HD.

Esses são os principais resultados do teste que a Folha fez com o Netflix, serviço recém-chegado ao país para assistir a filmes via internet.

Na avaliação, foram testados também os principais concorrentes brasileiros: NetMovies, Terra TV Video Store, Saraiva Digital e Muu.

Editoria de Arte/Folhapress

A navegação no Netflix é simples e direta. Após fazer o cadastro, o usuário pode selecionar um filme e começar a vê-lo com só dois cliques.

O problema é escolher o que ver. O catálogo é reduzido, muito menor do que o disponível nos EUA. São raros os filmes mais recentes -tanto que o site não tem uma seção de lançamentos- e as obras disponíveis, em geral, já passaram pelo cinema, pelas locadoras de DVD convencionais e pela TV paga.

Mesmo o acervo tem muitas lacunas. O gênero de clássicos, por exemplo, tem só 18 longas, incluindo "Ladrão de Casaca", de Alfred Hitchcock -o único filme disponível do mestre inglês do suspense.

A busca por obras de astros também é frustrante: só há três filmes com Angelina Jolie, que tem mais de 30 longas na carreira. Do marido dela, Brad Pitt, apenas cinco filmes -ele fez mais de 50.

A fluidez da transmissão esbarra na baixa qualidade da banda larga brasileira.

QUALIDADE DA IMAGEM

Para evitar engasgos, o Netflix ajusta a resolução do vídeo automaticamente -o que, em geral, resulta numa qualidade muito baixa.

A Folha testou o serviço em computadores com conexões de 16 Mbps e de 6 Mbps -bem mais do que 1,5 Mbps, velocidade mínima recomendada pelo Netflix.

Em ambas, os filmes rodaram bem, numa qualidade equivalente à de um DVD.

Porém, quando se configurou o serviço para que entregasse sempre a maior resolução possível, a transmissão travou mais de uma vez.

O primeiro mês é gratuito, mas é preciso informar os dados do seu cartão de crédito para fazer o cadastro. Ao fim desse período, o Netflix cobra mensalidade de R$ 14,99.
 
 
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar