Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

COMO PROTEGER SEUS DADOS, QUANDO A NUVEM SE DESFAZ?

30/08/2011

Mais e mais usamos serviços Web. E de uma forma natural. Confiamos na nuvem. Assumimos que os dados que enviamos para um serviço, hoje, ainda estará lá amanhã. Em grande parte, porque assumimos que os próprios serviços também estarão lá amanhã.

Mas ao longo dos últimos anos, temos visto muitos exemplos de sites que desaparecem da noite para o dia. Quem não lembra das dores de cabeça provocadas pelo redesenho do Friendster, em maio? Ou o fechamento do GeoCities em 2009?

Nada dura para sempre. A máxima serve também para os serviços Web aos quais confiamos nossos dados. Ele podem desaparecer sem aviso prévio. E quando isso acontecer, você vai precisar ter um plano para não perder seus dados.

Infelizmente, há muitos exemplos de serviços que fecharam, mudaram de mãos ou simplesmente perderam seus dados. Não deixe que isso aconteça com você

Se está pensando em usar um serviço Web específico, ajuda saber como ele vai lidar com seus dados e se proporciona maneiras de salvar seus dados ou mover as informações para outros serviços. 

Os dados estão disponíveis em formatos abertos para facilitar o download?

O melhor sinal de que um site ou serviço se preocupa com a preservação dos dados de seus usuários é a capacidade que oferece de fazer o backup dos seus dados através do próprio serviço. Se não há nenhuma ferramenta de back-end para download cópias de seu conteúdo, você pode ser forçado a fazer isso manualmente. Portanto, qualquer ferramenta que ofereça para poupar o seu trabalho é algo digno de nota. 

Curiosamente, o Google tem feito grandes progressos nesta área. Quando começou recentemente os testes do Google+, acrescentou extensões para permitir que os dados pessoais (contatos, círculos, etc) possam ser exportados via Google Checkout. O teste real de tal recurso, porém, é o quanto ele sera útil para o transporte de seus dados para outros serviços.

Ferramentas para exportação de dados são fornecidas pelo serviço ou por terceiros. Se você não tem acesso direto aos seus dados através da interface do próprio serviço, a melhor coisa a fazer é saber se existem aplicações de terceiros que podem copiar os dados para você através de uma das APIs do serviço. Você pode ter que fazer alguma programação no seu próprio país para aproveitar as APIs, mas é uma boa ideia procurar antes para saber se alguém em algum lugar, já fez esse trabalho para você, gratuitamente ou não.

Andrew Reichman, analista da Forrester Research, diz que qualquer serviço que você use deve ser considerado proprietário, mesmo que o prestador do serviço anuncie estratégia de uso de ferramentas de código aberto. Em outras palavras, tome qualquer reclamação sobre a portabilidade de dados como um problema de difícil solução. Pode ser um sinal de que você estará à mercê dos administradores e as políticas da empresa que opera os equipamentos em seu nome."

Atenção aos Termos de serviço 

O ToS para quase qualquer serviço nos dias de hoje está redigido cbrindo todos os aspectos possíveis de funcionalidades do serviceo. "Prestar atenção aos SLAs e aos contratosé importante", diz Reichman. "Ter uma estratégia de saída, ou pelo menos ter se preocupado em discutir o que aconteceria no caso de o cliente desejar  retirar ou cancelar o fornecedor de serviços, é um passo preliminar importante para tomar, antes de se comprometer com um determinado fornecedor." 

George Hamilton, analista do Yankee Group, é ainda mais insistente sobre este ponto. "Saber como o provedor de serviços protege os dados armazenados e os dados em movimento, e como é feito o backup"  são preocupações legítimas e fundamentais para evitar problemas .

Este é um aspecto onde os serviços podem dar ao luxo de competir mais agressivamente: permitir que os clientes tenham maior liberdade para movimentação de dados, mesmo que pareça contraditório, a princípio, deixá-los exportar seus dados ao bel prazer. "Os fornecedores devem vender a sua funcionalidade, e não criar barreiras", diz Hamilton, observando que o movimento geral da indústria é em direção a padrões abertos.

Reichman, no entanto, discorda. "O mais provável é a estrutura proprietária de um fornecedor se tornar um padrão de fato seguido por outros fornecedores ", diz ele.

Atenção aos sinais de alerta

É possível dizer de antemão que um serviço está prestes a ser descontinuado? Depende.

O site ArchiveTeam mantém uma lista de sites que correm o risco de serem desligados ou já estejam morrendo. Se você usa um site listado lá, deve começar a pensar em migrar seus dados para outro lugar ou, no mínimo, apoiar-se em algum serviço mais sólido.

Reichman aconselha a olhar para os números da empresa. "Nem sempre se pode descobrir que um fornecedor tem problemas financeiros, mas algumas questões podem ser descobertas com uma due diligence nos balanços, se disponíveis, ou no noticiário recente  sobre o fornecedor", diz ele. "Os rumores de aquisições ou alienações iminentes, demissões ou mudanças de estratégia são todos sinais de que pode haver problemas."

Outros sinais de aviso incluem declínio da qualidade de serviço, interrupções constants, problemas de desempenho, suporte falho ou demorado, redução do apoio de terceiros (para sites com um ecossistema  ativo em tono das APIs para desenvolvimento de  aplicativos),  mudanças abruptas nos termos de serviço (ToS) ou comportamentos arbitrários. 

Crie uma estratégia de saída

É sempre bom manter cópias locais de tudo o que é crucial. Qualquer serviço da Web deve ser pensado como um replicador, não um repositório.

Por exemplo, nunca confie a um serviço remoto sua única cópia de uma determinada foto, já que a regra do serviço sobre a preservação dos dados pode não ser de seu interesse. O Flickr, um dos mais populares serviços de hospedagem de fotografia, não permite que você acesse a cópia original de uma foto enviada a não ser que você tenha uma conta paga.

Muitos usuários do Gmail, por exemplo, não têm escrúpulo em deixar toda a sua correspondência nos servidores do Google - apesar de o gerenciador de e-mails do Google oferecer padrões de conectividade  POP3 e IMAP.

Se um serviço oferece uma maneira de fazer uma cópia local de seus dados, faça. 
 
 
 
 
Fonte: CIO

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar