Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

SK TELECOM QUER LTE NA FAIXA DE 2,1 GHZ

17/05/2011

 

A maior empresa de telecomunicações da Coreia do Sul quer participar do mercado brasileiro oferecendo telefonia móvel e acesso à internet em banda larga. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta segunda-feira, 17/05, que a SK Telecom tem interesse em disputar um possível leilão para LTE, a 4G da telefonia móvel, na frequência de 2,1 Ghz.

Hoje a faixa reservada para o serviço no país é a 2,5GHz. A Anatel já informou que planeja antecipar o leilão para janeiro de 2012. Mas é fato que as operadoras anseiam ofertar o serviço em frequências mais baixas, sob a justificativa de redução de custos e de melhor performance.

"Eu falei para eles [empresários da SK Telecom] que o Brasil não está com isso regulamentado. Se houver interesse das autoridades, podemos regulamentar e fazer o leilão, e eles poderão participar da licitação?, disse Bernardo, que esteve na Coreia na última semana. Segundo o ministro, a SK tem em torno de 30 milhões de assinantes na Coreia, o que representa pouco mais de 50% do mercado coreano.

O ministro voltou da viagem convencido de que o governo brasileiro deve começar a pensar em uma forma de universalizar o acesso ao serviço de internet no país. ?Quando fizemos o Programa Nacional de Banda Larga, não foi colocada como objetivo a universalização do serviço. Hoje nós estamos vendo que podemos acelerar e até superar as metas, mas vai ficar um problema a ser resolvido que é buscar a universalização. Em algum momento o governo vai ter que responder isso, e ainda neste governo temos que definir os objetivos?.

Na Coreia, Paulo Bernardo também assinou um protocolo de intenções para desenvolvimento de parcerias na área de tecnologia da informação com a Korea Communications Commission (KCC), que é o ministério das Comunicações coreano. Ele visitou a empresa de equipamentos eletrônicos Samsung, que anunciou a intenção de fabricar no Brasil um novo modelo de tablet. A viagem foi um convite do governo coreano, que custeou todas as despesas.
 
 
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar