Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

JUIZ NEGA PEDIDO DE CANCELAMENTO DO PROCESSO ENTRE ACTIVISION E ELECTRONIC ARTS

21/03/2011

A Electronic Arts não imaginava que teria um problemão ao contratar Jason West e Vicent Zampella, ex-chefes da Infinity Ward, e logo em seguida ser processada pela Activision. Agora foi definido que a briga entre as duas maiores distribuidoras de games do mundo será resolvida em maio nos tribunais.

Em um novo capítulo da história, Elihu Berle, juiz do estado da Califórnia, Estados Unidos, negou a proposta da EA para indeferir a ação, que deve se encaminhar para julgamento no mês de maio, segundo relatou o site do jornal Los Angeles Times.

O porta-voz da EA, Jeff Brown, disse na quarta-feira (16) que o processo da Activision contra a EA" foi um "subterfúgio", que este "sempre foi um caso simples de dois artistas tentando receber o pagamento pelo seu trabalho. Estamos confiantes de que o júri ficará do lado de Jason e Vince e fazer com que a Activision pague as centenas de milhões que são devidos a eles".

O caso tomou novas nuances nesta quarta-feira, quando West e Zampella adicionaram seis novas reclamações contra a Activision, duas sendo de suposta fraude. A Activision até o momento não fez nenhuma declaração sobre o caso.

Guerra nos Tribuniais

De acordo com a alegação da Activision, a Electronic Arts seduziu os cabeças da Infinity Ward Jason West e Vince Zampella (ambos demitidos pela Activision no início de 2010) para abandonarem suas funções, em reuniões secretas que foram organizadas por um agente da Creative Artists. West e Zampella teriam viajado para São Francisco no jatinho particular de John Riccitiello, executivo-chefe da Electronic Arts, para discutir negócios com a produtora rival em agosto de 2009.

Em outra alegação contra a dupla de ex-funcionários, a Activision os acusa de terem sabotado outra de sua produtora, a Treyarch, ao liberarem um vídeo promocional de "Modern Warfare 2" no mesmo dia que a Treyarch anunciou um vídeo do pacote de conteúdo adicional para "World at War". Com o processo, a Activision espera ser indenizada em US$ 400 milhões pela Electronic Arts, alegando o prejuízo causado com toda essa confusão envolvendo os seus ex-funcionários.

Segundo o jornal Los Angeles Times, o porta-voz da Electronic Arts Jeff Brown respondeu que se trata de uma atitude desesperada de defesa dos relações públicas da Activision. "Eles querem esconder o fato de não ter uma resposta aceitável para dar sobre o pedido de dois artistas que foram demitidos e que desejam receber pelo trabalho que fizeram".

Talentos em disputa

West e Zampella são alguns dos grandes nomes da indústria de games. Eles são fundadores da Infinity Ward, criadora da bem sucedida série de guerra "Call of Duty", que já arrecadou mais de US$ 3 bilhões.

Depois de a Activision ter rompido o contrato da dupla, supostamente por quebra de cláusulas, eles fundaram a Respawn, que também abriga vários outros ex-funcionários da Infinity Ward. Por ora, nenhum detalhe do projeto da Respawn foi anunciado, mas a companhia já tem uma distribuidora: a gigante Electronic Arts.

O resultado desta guerra entre produtoras ainda é incerto, mas tudo indica que os combates ocorrerão nos tribunais em 2011, com a primeira audiência marcada para 23 de maio, nos Estados Unidos.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar