Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

SERENIDADE É A CHAVE DA LIDERANÇA

23/02/2011

Quando deixei a rotina frenética da capital paulista e me mudei para Palmas, no Tocantins, uma capital em pleno desenvolvimento, muitos acharam que não havia aguentado a pressão, ou simplesmente que estava louco. Francamente, entendo esse pensamento.

Se ceder à pressão e surtar quer dizer conseguir tomar conta da sua vida, realizar o que muitas vezes se passou na minha mente, durante horas parado no trânsito, e se posicionar claramente contra a gestão opressiva e abusiva na cobrança de resultados, então, caro leitor, a conclusão é simples: cedi, sim!

Em plena era da informação, estamos escravos de paradigmas sociais impostos desde o início da nossa formação. A falta nas nossas escolas de educação financeira e política contribui de forma significativa para essa situação.

Posso afirmar que o sucesso e a realização não estão somente em grandes centros e a prova disso é o movimento cada vez maior na ?exportação de capital intelectual?, não só pelo caos da violência, trânsito e falta de qualidade de vida, mas pelas oportunidades crescentes, proporcionadas pela descentralização e incentivos governamentais, que estão se instaurando em diversas localidades do nosso Brasil.

Sem dúvida, a educação acadêmica, as certificações comerciais e técnicas, os MBAs e a fluência em uma, duas ou três línguas são questões importantes na formação profissional, mas pergunto: De que vale tanto potencial intelectual sem controle?

Quanto maior o equilíbrio, maiores são as realizações e as conquistas. Estar sereno traz benefícios na tomada de decisão e na liderança de pessoas, processos e estratégias que demandam mais do que capacidade acadêmica.

Esta aí o grande valor da gestão atual, saber fazer a leitura da capacitação intelectual e direcionar essa capacidade em conjunto com controle emocional. O equilibro entre pressão, resultado e prazer.

A maioria dos profissionais não tem satisfação em trabalhar e se refletirmos, vamos compreender porque corporações que adotam processos de gestão tidos como ?alternativos? vivenciam crescimento extraordinário.

As pessoas querem liberdade, ser elas mesmas, expressar ideias e, dessa forma, sentir que estão contribuindo. A empresa que executa esse desenho cria uma atmosfera positiva que propicia o desenvolvimento e a produção, características que o modelo conservador não contempla.

Escuto muito o tal do ?foco em resultado?. Reflitam: "Alguém que trabalha com prazer, que se sente integrante de uma equipe com mentalidade vencedora, trabalha para não ter ou prover resultado?? Mas que resultado é esse? Renda, lucratividade? Para o modelo conservador, sim, mas vamos entender como deve ser na gestão atual.

Segundo Michaelis: ?re.sul.ta.do sm (part de resultar) 1 Ação ou efeito de resultar. 2 O que resultou ou resulta de alguma coisa; consequência, efeito, produto; fim, termo. 3 Deliberação, decisão. 4 Ganho, lucro. 5 Mat Conclusão de uma operação matemática. Dar em resultado: produzir, causar. Não ter resultado: ficar inutilizado ou sem efeito.?

Traduzindo para Gestão Atual: Ambiente * positividade * (criatividade + disposição + respeito) ? (pressão + equilíbrio) ? (hipocrisia + conversa franca) = RESULTADO.

Não há nada de novo no que escrevo, mas também não há nada novo na extrema dificuldade que temos de colocar em prática essa metodologia de confiança produtiva. A gestão atual deve se basear em pessoas, portanto, que fique claro: ?O CNPJ é formado pelo conjunto de CPFs?. Não há empresa sem pessoas!

Vamos investir e desenvolver gestores que saiam do discurso corporativo, que estejam preocupados com liderança, que não sintam a responsabilidade de ser exemplo. Que estejam alinhados e dispostos a proporcionar à equipe um bom ambiente para trabalhar, criar e contribuir. Quando a empresa passa a pensar e a agir dessa forma, o resultado se torna natural.

Lembrem-se, não cuidamos só de resultados e processos, cuidamos também de famílias.
 
 
 
 
Fonte: CIO

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar