Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

MVNO DA PORTO SEGURO SÓ DEVE ENTRAR EM OPERAÇÃO EM MARÇO

15/02/2011 01:00:00

A área técnica da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está analisando o pedido da Porto Seguro Telecom para que a companhia possa atuar como uma operadora virtual ou Mobile Virtual Network Operator (MVNO) em parceria com a TIM. Enquanto aguarda o sinal verde do órgão regulador, a empresa espera até março fechar a compra dos equipamentos para construir a infraestutura que vai suportar sua operação.

A empresa vai utilizar as antenas da TIM em todo o Brasil, mas precisará construir sua rede para fazer billing e gerenciar a entrega do serviço. A Porto Seguro Telecom vai atuar como uma MVNO autorizada, que o modelo que lhe dá liberdade para criar seus próprios pacotes com sua marca e estabelecer suas tarifas, sem interferência da TIM. A companhia não estabeleceu data para lançamento de sua operação por ainda depender de aprovação da Anatel.

A nova operadora é resultado de uma sociedade formada entre a Porto Seguro e a operadora de telecomunicações Datora, que atua no mercado há cerca de 15 anos, para explorar o mercado brasileiro de MVNO, regulamentado pela Anatel no final de novembro do ano passado.

O CEO da Datora, Wilson Otero da Datora, conta que a operadora entra no negócio com sua experiência em telecomunicações e entrega dos serviços e a companhia de seguros com sua carteira de clientes. A Porto Seguro é a controladora majoritária, embora a distribuição do capital tenha sido revelada.

O executivo informa que a Datora vem há dois anos pesquisando o modelo de operação de MVNO e acompanhando as experiências em mercados mais avançados como os da Alemanha, Bélgica, Holanda, Bélgica, Reino Unido e Estados Unidos.

?Nesse período vimos as que as empresas que deram certo foram as se tornaram operadoras virtuais criadas para atender nichos de mercado. Percebemos que não podemos competir com as operadoras móveis grandes?, diz Otero.

A proposta da nova empresa é atender o segmento de varejo e explorar, começando pelo setor de seguros. Segundo o CEO da Datora, a companhia deverá ter outras MVNOs de outros segmentos da economia e pretende se destacar pelo atendimento diferenciado aos clientes, algo que ele acha que as operadoras convencionais por causa da grande base de clientes que possuem.

Otero observa que o principal motivo das queixas dos clientes em órgãos de defesa do consumidor é contestação sobre as contas, que representam 70% das reclamações por falta de entendimento sobre as faturas. Como uma VMNO independente, o executivo promete cobranças com clareza e informar ao consumidor online sobre seus gastos.

É com o atendimento diferenciado que a Porto Seguro Telecom espera fidelizar sua base de clientes. A disputa por clientes não será por tarifas baixas nem ofertas diferenciadas de planos.  ?Preço não é o drive da MVNO. Ela tem é que prestar serviços de excelência?, afirma o executivo, sem dar detalhes sobre as ofertadas da nova companhia.

Primeira interessada

A Porto Seguro Telecom foi a primeira empresa a entrar com pedido para operar como MVNO na Anatel depois de selar acordo com a TIM. Para fazer essa solicitação, as empresas precisam apresentar o seu projeto de prestação de serviço com uma prestadora de serviço móvel do mercado.

O pedido da empresa está em análise pela equipe técnica da agência e Otero acredita que a empresa será a primeira a receber a licença da MVNO do órgão regulador por ter sido a primeira a fazer essa solicitação.

A GVT tem interesse de atuar como MVNO no modelo de autorizada. Porém como ainda não conseguiu alinhavar um acordo com as operadoras móveis. Somente após fechar contrato é que a empresa apresentará seu modelo de exploração desse serviço ao órgão regulador.
 
 
 
 
Fonte: Computerworld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar