Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CINCO TECNOLOGIAS DE VIRTUALIZAÇÃO OPEN SOURCE

25/01/2011 01:00:00

Agora que a virtualização ganhou o status de tecnologia dominante na maioria das grandes empresas, os maiores fornecedores do mercado, como EMC/VMware, IBM e Microsoft estão investindo pesadamente em soluções proprietárias para a execução de sistemas operacionais de múltiplos clientes em uma única máquina.

O mercado, no entanto, não é feito só de produtos comerciais. Existe um ecossistema latente de soluções de virtualização de código aberto que podem ser consideradas pelos CIOs para suas infraestruturas de nuvem públicas ou privadas.

Entre as opções, cinco se destacam pelo potencial de cumprir a missão de consolidar infraestrutura sem prejudicar as economias que virtualização proporciona:

KVM

Abreviação para Kernel-based Virtual Machine, a solução não é tão amplamente implementada como outros hypervisors de código aberto, mas sua estatura está crescendo rapidamente. Ele tem a possibilidade de rodar clientes Windows e Linux, mas o sistema operacional do pinguim leva vantagem, pois os Linux desde o kernel 2.2.20 possuem um componente do KVM incluído.

A principal validação do KVM veio no final de 2008, quando o fornecedor Red Hat comprou a desenvolvedora da ferramenta, Qumranet. Agora a Red Hat baseia sua estratégia corporativa de virtualização na ferramenta.

Site: http://www.linux-kvm.org
Licença: GPL

Xen

O hypervisor Xen começou a ser criado por uma startup financiada pela Microsoft na Universidade de Cambridge e logo se tornou padrão no universo Linux.

O Xen dá suporte à virtualização (modalidade na qual o sistema operacional sofre modificação para ser rodado em máquina virtual) e virtualização assistida por hardware para clientes modificados e não modificados.

Os clientes podem ser Linux ou Windows, mas a maioria absoluta dos clientes é variante Linux, principalmente no universo de hosting.

Alguns anos atrás, fornecedores comerciais, como Novell e Oracle, adotaram Xen, antes que a startup fosse comprada pela Citrix. Empresas importantes já adotaram o sistema de código aberto como plataforma de nuvem privada.

Site: http://www.xen.org
Licença: GPL 


OpenVZ

A ferramenta OpenVZ é um sistema de virtualização para Linux que se tornou bastante popular nos mercados de host de massa, já que usar Linux é a forma mais barata de fornecer servidores privados virtuais. Ela promete oferecer performance de máquina virtual semelhante às de máquinas nativas.

Uma das vantagens do OpenVZ é a compatibilidade com Parallels Virtuozzo Containers, solução comercial oferecida pela empresa Suiça Parallels 

Site: http://openvz.org 
Licença: GPL 

VirtualBox

VirtualBox é uma tecnologia de virtualização especializada em desktops, que foi adquirida pela Sun em fevereiro de 2008, e logo passou para as mãos da Oracle, que manteve o desenvolvimento e anunciou o lançametno da versão 4.0 em dezembro de 2010.

VirtualBox tem a vantagem de rodar em Windows, Linux, Solaris e Mac OS X, suportando também todos esses sistemas operacionais como clientes. 

Apesar de ter mais apelo para desktops, o VirtualBOX também pode ser usado em servidores.

Site: http://www.virtualbox.org 
Licença: GPL e CDDL 
 

Lguest

Criado por um desenvolvedor independente australiano, o Lguest é voltado para Linux, permitindo múltiplas cópias do mesmo kernel, rodando simultaneamente. Mesmo não sendo um hypervisor de virtualização pura, o Lguest se orgulha da facilidade de uso e da utilização do mesmo kernel para o sistema operacional do host e do cliente.

Ainda não existe muito registro sobre o uso do Lguest como sistema corporativo em ambientes de produção, mas dependendo do que a empresa espera de uma ferramenta de virtualização, vale a pena testar.

Site: http://lguest.ozlabs.org/
Licença: GPL 
 
 
 
 
Fonte: CIO

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar