Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

O BRASIL SE TORNOU UM LABORATÓRIO DO CIBERCRIME

20/01/2011 01:00:00

Em 2003, quando deu uma palestra sobre o Spam no Brasil, Hermann Wecke, um dos criadores do Movimento Anti-Spam Brasileiro, citou uma reportagem do jornal New York Times que dizia que ?o Brasil se tornou um laboratório do cibercrime?. Cerca de oito ano depois, Wecke confirmou a afirmação e garantiu que a situação só piorou desde então.

De 2008 para 2009, uma pesquisa da Cisco System apontou que o Brasil havia chegado à primeira posição do ranking dos maiores spammers do mundo, ultrapassando os Estados Unidos com cerca de 7,7 trilhões de mensagens maliciosas enviadas durante o ano. No ano seguinte, o número de reclamações de usuários contra Spams cresceu 139%, enquanto o número de internautas aumentou só 9,2%.

?Spam em si não é um crime, mas tudo que vem atrás dele é?, afirma Wecke. O crime no envio dessas mensagens indesejadas pode vir, por exemplo, na forma de falsidade ideológica, quando se oferece um produto falso à vítima.

O maior grupo spammer do mundo, chamado de SpamIT, atuava na Ucrânia até anunciar o fim de suas atividades em setembro de 2010. No auge de sua atuação, o grupo enviava centenas de milhares de e-mails por dia através de 1,3 mil domínios ?zumbis? em vários países diferentes.

O SpamIT atuava com o nome de ?Canada Pharmacy? e mandava mensagens customizadas para as pessoas, oferencendo serviços farmacêuticos de acordo com o IP do usuário (havia, por exemplo a ?US Pharmacy?, ?Europe Pharmacy? e ?UK Pharmacy?).

Outros grandes grupos responsáveis por spams no mundo são o Rove Digital (Estônia), Alex & Co. (Ucrânia), Vicent Chan (Hong Kong) e Peter Sever/ Peter Levashov (Russia). Todos usam servidores de aluguel para terceiros contratarem o serviço e mandarem Spams. No Brasil, os dois maiores spammers são a Telemar e Telefonica.

?No Brasil, o crescimento está ligado ao aumento de usuários na internet. Uma grande quantidade passou a ter banda larga e computador?, afirma Wecke. A dificuldade de lidar com essas mensagens indesejadas é um sistema judicial ineficiente. Apesar de não ter leis específicas, muitos dos spams podem ser encaixados em crimes existentes no código penal, como falsidade ideológica. ?A grande quantidade do spam é fraude como ?faça parte do BBB 11? ou ?acesse câmeras especiais dentro da casa?. Ou então a morte de alguém: ?veja fotos exclusivas dos mortos em Teresópolis? está em alta agora?, explica.

No futuro, Hermann Wecke não vê uma diminuição de spams, apenas uma diversificação. Spams por mensagens de celular (chamados de SPIM), por sides de busca (Spamdexing) ou até por redes sociais, estão crescendo atualmente. O mercado do spam, assim como toda outra publicidade, gera lucros para quem contrata. Segundo Hermann, ?a mala direta tem retorno de 5%, o SPAM tem retorno de 0,5%. Apesar disso, o custo é baixo"

Infelizmente, a única maneira de evitar que essa praga continue crescendo é o bom senso e a conscientização dos internautas. ?Não caia em golpe da internet, não tem mágica?, afirma.

 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar