Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CHUVA ROMPE REDE ÓPTICA DA OI E REGIÃO SERRANA DO RIO FICA SEM SERVIÇOS DE TELECOM

13/01/2011 01:00:00

O temporal que atingiu as cidades da Região Serrana do Rio de Janeiro na madrugada desta quarta-feira, 12/01, provocou sérios danos à infraestrutura de telecomunicações. A Oi, segundo relatou o presidente, Luiz Eduardo Falco, logo após uma audiência com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, em Brasília, teve a sua rede de fibra óptica rompida com os deslizamentos.

O problema, além de afetar os serviços da concessionária, atinge uma série de provedores de serviços que contratam os meios de transmissão da empresa para oferecer telefonia e acesso à Internet. Falco garantiu que já tem equipe trabalhando no local para recuperara a rede, mas não soube dar prazos para a normalização da oferta.

A falta de energia prolongada é o grande tormento das teles móveis. Isso porque as baterias das estações de rádio base suportam no máximo de seis a 12 horas e há ERBs em localidades com acessos interditados onde os geradores móveis não podem ser ativados.

Em notas oficiais, as operadoras Vivo e Claro afirmam que a falta de energia elétrica - já são mais de 20 horas sem o serviço - é a grande responsável pela suspensão parcial ou total dos serviços nas cidades de Friburgo, Teresópolis e Petrópolis. A Nextel também ficou indisponível na cidade de Nova Friburgo. A TIM, por sua vez, diz que seus serviços foram afetados por problemas na provedora de meios de transmissão, leia-se a Oi. A Intelig informa que a sua rede não foi impactada.

A forte chuva que atingiu a região provocou quedas de barreiras, transbordamentos de rios e, consequentemente, a interdição e o bloqueio parcial de diversas estradas. Todas as concessionárias de telefonia informam que estão com equipes de emergência nas cidades atingidas e que trabalham em conjunto com a Defesa Civil para reativar os serviços o quanto antes. A situação na Região Serrana é de calamidade pública. Mais de 114 mortes já foram registradas e há milhares de desabrigados.


 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar