Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

TEMENDO FUGA, SUÉCIA DECIDE RECORRER DA LIBERDADE SOB FIANÇA A CRIADOR DO WIKILEAKS

15/12/2010 01:00:00

Em um dia de audiências dramáticas, o fundador do WikiLeaks recebeu uma notícia boa e uma ruim. Primeiro, o australiano Julian Assange foi informado por um juiz britânico de que seria libertado sob fiança. Menos de duas horas depois, o juiz afirmou que Assange ficará ao menos mais dois dias sob custódia em Londres (Reino Unido), enquanto a Promotoria da Suécia apela da fiança.

 
A Promotoria sueca alega que Assange pode tentar fugir. Ele pode ser extraditado para a Suécia, onde é acusado de assédio sexual e estupro contra duas mulheres.
 

Assange se entregou à polícia britânica na última terça-feira (7). O tribunal de Westminster decidiu mantê-lo sob custódia e agendou uma audiência para esta terça-feira.

O juiz britânico responsável pelo caso, Howard Riddle, determinou hoje que Assange poderia aguardar o restante do processo em liberdade após pagar fiança de 200 mil libras (cerca de R$ 535 mil). Riddle alegou que, diferente da semana passada, agora Assange tem um endereço confirmado para viver em Londres e esclareceu a confusão sobre sua data de chegada ao Reino Unido.

Martial Trezzini-04nov.10/Efe
O criador do site WikiLeaks, Julian Assange, dá entrevista coletiva em Genebra, na Suíça
O criador do site WikiLeaks, Julian Assange, dá entrevista coletiva em Genebra, na Suíça; ele continuará preso

A advogada de acusação Gemma Lindfield anunciou, em uma audiência no tribunal às 17h15 (15h15 em Brasília), que a Promotoria da Suécia vai apelar da sentença do tribunal britânico de liberdade sob fiança.

Lindfield argumentou que as acusações contra Assange são graves, que ele tem apenas uma semana de vínculos com o Reino Unido e que tem "os meios e a capacidade para fugir".

Ela lembrou que a própria justiça britânica já tinha considerado o risco de fuga de Assange, e argumentou que "nada mudou desde a semana passada para reduzir o temor do tribunal nesse sentido".

Lindfield também negou ligações entre a acusação contra Assange e o trabalho do WikiLeaks. "Isso não é um caso sobre o WikiLeaks, mas um caso sobre suspeitas de crimes graves contra duas mulheres."

O Wikileaks é um site conhecido por divulgar documentos sigilosos. Embora no ar há alguns anos, ele ganhou destaque internacional neste ano, ao levar a público 77 mil documentos da inteligência americana sobre o Iraque e, nas últimas semanas, mais de 250 mil documentos secretos do Departamento de Estado dos EUA.

FIANÇA

O advogado de Assange confirmou mais cedo que a liberdade de Assange impõe um prazo de sete dias para aprovar com as autoridades um endereço fixo em Londres, onde deverá estar determinadas horas do dia e da noite, para sua localização com aparelho eletrônico.

Mais cedo, a emissora britânica BBC as condições da liberdade provisória incluem ainda que ele se apresente a uma delegacia de polícia todos os dias às 18h, além de um toque de recolher. Assange estaria livre para sair somente entre as 14h e as 22h.

De acordo com o jornal britânico "The Guardian", as condições impostas pelo juiz também incluem o confisco de seu passaporte e o uso constante de um identificador eletrônico. O diário adiantou ainda --sem confirmação oficial-- que a próxima audiência de Julian Assange será no dia 11 de janeiro de 2011.

A próxima aparição de Assange perante o tribunal está marcada para 11 de janeiro, antes de uma audiência completa, em 7 e 8 de fevereiro.

CELEBRIDADES

A mãe de Assange, Christine, assistiu à audiência de uma galeria pública a cerca de 2 metros de onde Assange estava sentado. Ela deu um grande sorriso quando o juiz concedeu a fiança.

"Só quero agradecer a todos que apareceram para mostrar seu apoio e que se interessaram", disse ela, enquanto acenava para o filho.

Ao menos dez celebridades britânicas haviam se prontificado a ajudar no pagamento de uma potencial fiança estabelecida pelo tribunal, entre elas os cineastas Ken Loach e Michael Moore, a milionária Jemima Khan e o jornalista investigativo australiano John Pilger -- todos estavam presentes durante a audiência desta terça-feira.

Ainda segundo o "Guardian", uma amiga de Assange, a proprietária de restaurantes Sarah Saunders, assinou uma declaração oferecendo 150 mil libras, dizendo que era quase todo o patrimônio que possui.

 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar