Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

OPERAÇÃO VINGANÇA: PAYPAL LIBERA FUNDOS DO WIKILEAKS

10/12/2010 01:00:00

Desde terça-feira (7) hackers defensores da organização WikiLeaks estão colocando em prática a operação Payback, ou Operação Vingança. Ativistas do mundo todo se organizaram para atacar sites de empresas que se recusaram a colaborar com o WikiLeaks. Entre os sites que estavam na "lista negra" da operação, o Paypal - sociedade americana de pagamentos pela internet - era um dos primeiros que sofreriam ataques. Isso porque a empresa tinha cancelado a conta onde o WikiLeaks recebia doações para financiar o site.

A novidade é que, nesta quinta-feira (9), dias após os hacktivistas derrubarem o site de pagamentos eletrônicos - bem como das operadoras de cartão de crédito Mastercard e Visa, além do banco suíço PostFinance - o Paypal desbloqueou os fundos depositados na conta do WikiLeaks.

No blog da empresa, o diretor jurídico, John Muller, disse que o PayPal restringiu a utilização da conta do WikiLeaks porque a organização estimula fontes a difundir documentos confidenciais e a política de práticas do PayPal não concorda com isso.

"Enquanto a conta ficar sujeita a restrições, o PayPal vai desbloquear todos os fundos restantes da fundação, que permitem o WikiLeaks se financiar", revelou. O executivo ainda afirmou que a decisão não foi influenciada por pressões políticas dos aliados ao WikiLeaks. "Entendemos que a decisão do PayPal se tornou em parte um assunto maior que envolve debates políticos, legais e de liberdade de expressão em torno das atividades do WikiLeaks", disse Muller.

Desde 2007, o WikiLeaks funciona como uma organização sem fins lucrativos, sediada na Suécia, que publica em seu site documentos, fotos, vídeos e informações confidenciais, vazadas de governos ou empresas sobre assuntos polêmicos. O site já abrigou mais de 1 milhão de documentos, entre eles, 250 mil telegramas secretos da diplomacia norte-americana. Porém, a organização só ganhou notoriedade em meados deste ano, quando divulgou um vídeo no qual militares dos Estados Unidos fuzilam iraquianos a partir de um helicóptero.

Fonte: Olhar Digital.

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar