Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

COMPRA DE GROUPON PELO GOOGLE PODE PASSAR POR REVISÃO ANTITRUSTE

03/12/2010 01:00:00

O Google pode enfrentar investigações por autoridades de defesa da concorrência em caso de uma eventual aquisição do site de compras coletivas Groupon.

As duas empresas continuam negociando diretamente, disseram fontes na quarta-feira.
 

"Quanto mais compras o Google fizer, mais questionamentos sobre concorrência surgirão", disse uma fonte conhecedora da situação, que pediu para não ter seu nome revelado porque as negociações continuam. "Isso precisa ser considerado."

O processo de revisão nos Estados Unidos demorará muito tempo, disse o dirigente de um banco de investimento que não está participando das discussões.

Mas um argumento que o Google poderia oferecer é o de que as barreiras ao ingresso de empresas fornecedoras de cupons de desconto no mercado são baixas, porque já existem 80 a cem participantes no mercado, disse um banqueiro que não está envolvido nas negociações.

A possível aquisição sem dúvida levaria mais fornecedores e clientes a um lugar, mas o banqueiro disse que o Google seria capaz de alegar que embora esteja adquirindo um grande participante, a transação não viola as leis de competição.

O Groupon anunciou que não comentará sobre especulações quanto aos seus negócios, em aparente referência a reportagens de que o Google estava perto de adquirir a empresa por US$ 6 bilhões.

O Groupon, sediado em Chicago, também anunciou que estava adquirindo a Ludic Labs, que desenvolve serviços locais de marketing como o Offer Foundry e o Diddit. Também anunciou a abertura de um escritório em Palo Alto, Califórnia, e planos para expandir a equipe instalada nessa unidade de 25 para cem funcionários, no ano que vem.

Na noite de terça-feira, o Groupon havia anunciado a aquisição de três sites de "ofertas do dia" --uBuyiBuy, Beeconomic e Atlaspost--, para expandir seu alcance no leste e sudeste da Ásia. O Atlaspost tem mais de 1,2 milhão de usuários em Taiwan, segundo o Groupon. Os termos das transações não foram revelados.
 
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar