Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CEO DA GOOGLE MINIMIZA IMPACTO DO SERVIÇO DE MENSAGENS DO FACEBOOK

17/11/2010 01:00:00

O CEO da Google afirma não estar preocupado com o novo sistema de mensagens do Facebook.

Na arena do e-mail, quanto mais, melhor, disse Eric Schmidt, que deu uma palestra no Web 2.0 Summit de São Francisco (EUA), na segunda-feira (15/11).

Em conversa com um pequeno grupo de repórteres depois de sua palestra de abertura no evento, Schmidt pareceu um tanto hesitante em abordar o novo sistema de mensagens do Facebook, que foi anunciado a alguns quarteirões de distância, no mesmo dia.

?Mais competição é sempre bom porque amplia o mercado?, disse Schmidt. ?A imprensa tem mais foco na competição do que na expansão do mercado. Isso traz mais pessoas a ele. Todos nós teremos vantagens se todos no mundo estiverem online.?

Analistas do setor destacam, no entanto, que o novo Facebook Messages, que inclui a oferta de um endereço de e-mail Facebook.com aos usuários da rede social, poderia tomar um pedaço da base de usuários do Gmail.

Se o Facebook emplacar de fato seu novo sistema de e-mail e mensagens, alguns dos 500 milhões de usuários da rede social poderiam abandonar o barco da Google e se alinhar ao Facebook.

E o Gmail é parte integral da caixa de ferramentas da Google de aplicações para consumidores e empresas.

Schmidt recusou-se a comentar sobre o Facebook ou seu novo sistema de mensagens de forma direta. ?Nós estamos realmente muito felizes com o Gmail?, disse. ?Agora mesmo, [o serviço] passa por um crescimento maravilhoso. As pessoas usam o Gmail por causa da sua velocidade e de sua capacidade de busca. Desde o começo seu projeto foi pautado por desempenho e busca.?

?O Gmail está indo muito bem. Estamos felizes de que o mercado esteja se expandindo?, disse Schmidt.

Linha perigosa
O CEO da Google também mencionou a questão da privacidade e até comentou sobre as declarações que fez ? e que, segundo ele, foram mal interpretadas.

O CEO da Google foi questionado sobre um comentário que fez no mês passado, no Newseum. ?Há o que eu chamo de ?linha perigosa?, disse Schmidt, segundo The Hill. ?A política da Google sobre várias coisas consiste em chegar à linha perigosa, mas sem ultrapassá-la.?

Na segunda-feira, Schmidt lembrou o comentário e defendeu a si e à Google sobre a ?linha perigosa?.

?Há claramente uma linha que não devemos cruzar?, disse. ?Há muitos, muitos exemplos, como a tecnologia do rastreamento em tempo real. Com o Google Earth, nós não mostramos imagens em tempo real; dessa forma, não pode haver rastreamento. Nós queremos dizer que existem linhas que não devem ser cruzadas.?

O CEO da Google também comentou sobre a recente disputa que envolve sua empresa e o Facebook sobre a portabilidade de dados do usuário.

A questão envolve a possibilidade de um usuário mover seus dados de e para serviços da web, como o Google Gmail e o Facebook. A Google advertiu os usuários sobre o que a empresa chama de risco de mover os dados do Gmail para o Facebook porque o Facebook não facilita a migração de dados para fora de seu sistema.

?Um dos princípios fundamentais da Internet é que ela é aberta. Há toda essa informação e as pessoas deveriam ser capazes de movê-la?, disse Schmidt. ?Eu penso que, em geral, nós assumimos a postura de que os dados do usuário são do usuário. E ele deveria ser capaz de movê-lo para e de onde quiser.?
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar