Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

EXECUTIVOS DO BLEKKO FALAM SOBRE O MERCADO DE BUSCAS E SEARCH

02/11/2010 01:00:00

Nessa segunda parte da entrevista exclusiva com o fundador do Blekko, Rich Skrenta, e com o vice-presidente de Marketing da empresa, Mark Markson, o IDGNOW! conversou sobre modelos de negócios e sobre a utilidade do buscador para os profissionais de web. Afinal de contas, um mecanismo de buscas que tem uma base de dados ainda limitada, comparado  a  outros players do mercado de buscas,  desperta , no mínimo, interesse, ao oferecer informações valiosas para quem trabalha com a web.

Sem sinalizar uma expansão dos serviços, além da busca, ou seja, sem prometer servidor de emails ou serviços na nuvem, os dois executivos falam sobre a forma como veem as buscas na internet hoje em dia e por que acham que as informações que disponibilizam não jogam água nos negócios de outras organizações voltadas à munir profissionais de search com informações sobre os sites. Como eles diriam ?Não é esse o nosso negócio?.

IDG!: Vocês planejam ampliar os serviços do Blekko, com servidor de emails e coisas parecidas?

RS & MM: Não.

IDG!: E sobre o modelo de negócios? Como pretendem ganhar dinheiro com o buscador?

RS & MM: Por enquanto, estamos concentrados em fazer o mecanismo funcionar de forma a devolver aos usuários uma boa experiência nas buscas. Quando achar que estamos no nível desejado, vamos partir para publicidade nas buscas.

IDGNOW!: Em números de acessos e retorno de visitantes, como está o Blekko?

Rich Skrenta e Mark Markson: Olha, tivemos cerca de 8 mil usuários beta com uma taxa de retorno na casa dos 11%. Tem pessoas logadas o tempo todo, 24/7. Achamos positivo esse negócio de as pessoas voltarem ao site mesmo meses depois de criar suas contas.

IDG!: As SERPs (páginas d resultados de busca) apresentadas pelo Blekko trazem muitas informações técnicas das páginas indexadas. Agora, que saíram da incubadora, irão manter essa característica?

RS & MM: Não apenas vamos manter como já estamos aumentando o elenco de dados que mostramos sobre as páginas. Novas visualizações vão exibir estatísticas referentes aos domínios, diferente de apenas as URLs. Também tem uma ferramenta ótima para fazer comparações entre sites vindo aí.

IDG!: Exibindo várias informações de cunho técnico vocês não acham que estão concorrendo com sites que realizam esse trabalho e, às vezes, cobram por isso? Que sugestão vocês dão a essas empresas para que se mantenham competitivas?

RS & MM: Nós disponibilizamos essas informações porque somos abertos com relação a nossos critérios de indexação. Mas isso não faz de nós uma empresa de SEO ou algo parecido. Não vamos concorrer com nível de serviços que uma empresa séria de análise de tráfego ou de SEO oferece. Temos todo o interesse em trabalhar junto de empresas de SEO, temos APIs para lhes oferecer algo que, definitivamente, pode  ser útil no seu trabalho.

IDG!: Vocês têm planos de formatar buscas para a plataforma mobile? O que um site deve fazer para ser considerado na hora de aparecer nas buscas feitas por um dispositivo móvel?

RS & MM: Sim, temos. No momento, desenvolvemos uma interface para aumentar a satisfação do usuário quando este fizer uma busca a partir de um smartphone, por exemplo. Sobre formatar o conteúdo, os sites não precisam se preocupar com isso.

IDG!: De que forma o Blekko encara as técnicas de Black Hat SEO? Existem punições para sites que se valem desses meios? Que punições são essas?

RS & MM: O Blekko tem uma série de filtros que denunciam se um site está ou não aplicando essas técnicas. Se acharmos que isso está  ocorrendo, de fato, eliminamos o site do índex e ele não aparece nos resultados. Mas nem todos os tipos de spam serão visíveis em nossa ferramenta de SEO. Isso, porque acionaram um filtro que os exclui inteiramente do índice. Mas não chega a ser uma punição.

IDG!: Percebi que exibem resultados do Yahoo! nas SERPs do Blekko,. Qual é o acordo legal com o buscador para exibir esse conteúdo nos resultados?

RS & MM: O Blekko associou sua busca à várias APIs de empresas diferentes. O Yahoo!, a Amazon, o Twitter e outros são apenas alguns. Então se você quiser ver resultados de busca do Y! em nosso site, basta adicionar a slashtag /Yahoo ou, para uma busca por câmeras na Amazon, ?cameras /amazon?.

Também vale dizer que com 3 bilhões de páginas indexadas, nossa base pode não devolver muitos resultados para todas as pesquisas. Então usamos alguns do Yahoo! (/yahoo) de forma a complementar nossa SERP.

IDG!: Qual o nome do robô de buscas do Blekko? Que providencias os webmasters devem tomar para permitir que seus sites sejam indexados por ele?

RS & MM: Nosso robô chama-se ScoutJet. Todas as informações sobre os endereços IP a partir dos quais ele varre a rede podem ser obtidas nele.
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar