Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

BLACKBERRY TORCH 9800: EXCELENTE DESIGN, DESEMPENHO MEDIANO

24/08/2010

A RIM aumentou suas apostas na disputa pelo mercado de smartphones com o lançamento do BlackBerry Torch 9800 (US$ 200 nos EUA, com contrato de dois anos com a operadora AT&T), primeiro aparelho da empresa equipado com uma tela sensível ao toque e um teclado físico completo, e que roda o novo sistema operacional BlackBerry 6 OS. Mas será que o Torch (e futuros aparelhos baseados no mesmo sistema) conseguirá fazer frente ao crescente número de aparelhos com Android?

Design

O Torch é um pouquinho mais grosso que os outros smartphones topo de linha do momento, medindo cerca de 11 x 6 x 1,5 centimetros e pesando pouco mais de 160 gramas. Ao contrário do BlackBerry Storm e BlackBerry Storm 2, a RIM conseguiu adicionar uma tela sensível ao toque e manter o visual e funcionalidade familiares aos usuários de outros BlackBerry. A frente do telefone tem um touchpad óptico, que pode ser usado para navegar pela interface como alternativa à tela de toque, rodeado pelos botões Talk, Menu, Back e Power/End.

Talvez o aspecto que mais desaponta no Torch é sua tela sensível ao toque. Não só ele não impressiona, como sua resposta aos toques é um tanto quanto inconsistente. Felizmente ele não usa a incômoda tecnologia SurePress, que a RIM implementou nos modelos da linha Storm. A tela capacitiva de 3.2 polegadas, com resolução de 360 x 480 pixels, é menor tanto em tamanho quanto em resolução em relação às telas de aparelhos concorrentes como o Samsung Vibrant e o Motorola Droid X. Embora ela seja boa o suficiente para navegar na web, as cores, texto e nível de detalhes não impressionaram. A tela é multitoque, o que permite o uso do gesto de ?pinça? para aproximar ou afastar imagens e páginas da web na galeria de fotos e no navegador.

Assim como o Palm Pre, o Torch tem um teclado que desliza verticalmente. O mecanismo parece resistente e o teclado desliza facilmente e de forma suave. O teclado do Torch é mais fino que o de outros BlackBerry, mas bastante confortável. As teclas tem relevo e um bom tamanho, e há um punhado de botões de atalho bastante úteis. O Torch também tem um teclado virtual que pode ser usado tanto no modo ?retrato? quanto no modo ?paisagem?, mas em ambos os casos ele parece bastante apertado.

BlackBerry 6 OS: melhor, mas falta inovação

O BlackBerry 6 OS pode ter uma interface mais moderna e atraente, mas usuários de BlackBerry vão se sentir em casa. Embora os ícones e o texto pareçam mais elegantes e atraentes, o visual geral é decididamente de um BlackBerry. 

E-Mail é o ponto forte da RIM, e o BlackBerry 6 OS adiciona alguns recursos que solidificam a posição da empresa como mestre das mensagens. Como de costume, o aparelho pode ser sincronizado com o BlackBerry Enteprise Server de sua companhia, com suporte ao Exchange, Lotus Domino e Groupwise para entrega de e-mail em tempo real. E com o BlackBerry Internet Service é possível acessar até 10 contas de e-mail corporativas ou pessoais, em servidores POP3 ou IMAP4.

Mas é aqui que as coisas ficam confusas: o usuário é essencialmente forçado a lidar com duas caixas de correio separadas para gerenciar suas mensagens. Há a caixa Universal Messages, que contém mensagens SMS, e-mails e mensagens do BlackBerry Messenger. E há uma outra caixa para o e-mail pessoal (no meu caso o GMail). Na caixa do GMail há suporte a arquivamento, organização por conversas, etiquetas e estrelas, algo muito próximo do que é possível no GMail no desktop. Mas na caixa universal, no entanto, não há nenhum destes recursos. É uma omissão estranha por parte da RIM.

Talvez a mudança mais interessante no 6 OS é a presença de um navegador baseado em Webkit. Até agora, o principal ponto fraco da plataforma BlackBerry era o navegador. O novo não é perfeito, mas está anos luz à frente da versão anterior e podemos dizer que nesse quesito o BlackBerry OS finalmente alcançou a concorrência: há suporte a multitoque com gesto de pinça para aproximar ou afastar as páginas, navegação com abas e refluxo automático de texto: quando você dá zoom em uma coluna de texto o navegador automaticamente quebra as linhas para que ocupem apenas a largura da tela, evitando a necessidade de rolar lateralmente a página, o que atrapalharia a leitura.

O zoom com pinça não foi o mais suave que já vi, mas funcionou bem o suficiente em nossos testes. O refluxo automático de texto também. Gostei do fato de que há um cursor na página, o que facilita a cópia de texto. A interface para navegação por abas é especialmente agradável e fácil de usar. Para abrir uma aba basta clicar em um ícone no canto superior direito da tela. Clicar neste ícone também mostra todas as páginas abertas como miniaturas, e basta passar o dedo pela tela para navegar entre elas. 

Infelizmente o suporte completo a Flash 10 ainda não está pronto, embora a RIM esteja trabalhando com a Adobe para incluir a plataforma multimídia em aparelhos futuros. Além disso, como o sistema operacional não tem suporte a HTML5 você está praticamente preso ao YouTube como a única opção para assistir vídeos na web.

Desempenho

Eu posso viver sem suporte a Flash por enquanto, mas não dá pra viver com um navegador lento. Isto provavelmente é algo relacionado ao hardware do BlackBerry Torch 9800, mas notei que o browser é lento para carregar páginas, especialmente as ricas em imagens. Parece que o processador de 624 MHz do Torch não aguenta o novo navegador. Rolar páginas cheias de texto e imagens é algo definitivamente mais lento do que o que estamos acostumados a ver em smartphones mais rápidos, equipados com processadores de 1 GHz. E eu consegui ?derrubar? o navegador algumas vezes, o que foi frustrante.

A qualidade de chamadas (na rede da AT&T em San Francisco, EUA) foi boa no geral, com vozes de pessoas do outro lado da linha em alto e bom som, sem estática ou distorção. Meus interlocutores puderam ouvir o ruído de fundo enquanto eu estava em uma esquina movimentada, mas disseram que ele não foi alto o suficiente para atrapalhar a ligação.

Câmera

A RIM finalmente alcançou o resto do mercado de smartphones no quesito câmera: o Torch tem uma câmera de 5 Megapixel com autofoco, zoom de 2x e flash LED. Também há alguns recursos interessantes na hora de fotografar, como modos de cena e detecção de faces, tudo isso apresentado em uma interface limpa e fácil de usar.

A qualidade de imagem é definitivamente melhor do que a das câmeras de outros BlackBerry, mas minhas fotos ficaram um pouco ?lavadas?. Entretanto, experimentar os vários modos de cena é divertido e consegui tirar algumas fotos ótimas. Infelizmente a câmera só captura vídeo em resolução VGA: nada de alta-definição por aqui.

Multimídia

Será que um BlackBerry pode ser um aparelho para entretenimento? A RIM certamente está tentando mudar a percepção de seus aparelhos como uma ferramenta estritamente corporativa, e felizmente as mudanças no 6 OS ajudam nisso. O reprodutor de músicas recebeu a reforma de que há muito precisava, e ganhou uma interface à la CoverFlow que destaca as capas dos álbuns em sua coleção de música. Basta passar o dedo sobre a tela para navegar pelo catálogo de faixas.

Também há um novo aplicativo do YouTube com uma interface direta e simplificada, bem como um aplicativo para gerenciar seus podcasts de áudio e vídeo.

Nosso veredicto

O Torch funde com sucesso uma tela sensível ao toque com o teclado que é marca registrada dos BlackBerry, resultando em um design que é ao mesmo tempo inovador e familiar a quem já usa os aparelhos da RIM. Infelizmente o desempenho e especificações do Torch não estão a par de concorrentes como o HTC Droid Incredible ou Samsung Vibrant. Além disso o software, embora represente uma grande melhoria em relação às versões anteriores, parece ultrapassado. Se você é um fã leal do BlackBerry vai gostar bastante do Touch, mas aparelhos concorrentes equipados com o sistema operacional Android tem muito mais apelo.

BlackBerry Torch
Fabricante: Research in Motion (RIM)
Pontos fortes:

Browser melhorado
Media Player renovado
Bom teclado
Roda o novo BlackBerry 6 OS

Pontos fracos:

Desempenho aquém do esperado
Browser lento, sem suporte a Flash e HTML5
Fotos lavadas

Preço: US$ 200 nos EUA, em contrato de dois anos com a operadora AT&T
 
 
 
 
Fonte: PcWorld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar