Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ARTIGO: APARENTE FRACASSO DO NOVO BLACKBERRY PODE FAZER DA RIM A NOVA PALM

18/08/2010

O BlackBerry Torch 9800 foi anunciado como a segunda reviravolta da Research in Motion (RIM): seria a fênix que ressurgiria das cinzas para fazer valer o domínio da empresa no mercado de smartphones, recuperado a glória perdida. A comercialização do aparelho começou há menos de uma semana, em 12/08, e os relatórios indicando baixas vendas e o consequente corte em seu preço mostram que a RIM deve fazer sérias considerações a respeito de seu futuro.

O Torch 9800 é a joia da coroa da linha BlackBerry, mas ser o maior peixe em uma pequena piscina não significa estar pronto para nadar junto a tubarões. De fato, é o melhor dispositivo que a companhia tem a oferecer, no entanto, ainda é pouco se comparado ao iPhone ou ao Droid 2.

Depois de vender algo em torno de 150 mil unidades, a RIM já cortou pela metade o preço de seu lançamento. O que a empresa tirará de sua cartola agora? Se o Torch 9800 não for capaz de enfrentar seus rivais da nova geração de smartphones e se provar um abismal fracasso, o que ela poderá fazer para manter ou aumentar sua participação no mercado de dispositivos móveis?

Novo Palm?
Se esse cenário lhe soa familiar, não é à toa. A
Palm seguiu um caminho parecido antes de entrar na lista do leilão e ser, finalmente, adquirida por uma companhia maior, no caso a HP. O último celular lançado por ela, o Palm Pré, equipado com o sistema WebOS, seria o modelo a fazer frente ao iPhone e recuperar a empresa uma vez líder no setor de PDAs ? produto precursor dos smartphones.

Nós sabemos como isso funciona. Apesar de serem considerados tecnicamente superiores por muitos, o formato Betamax para fitas cassetes ou o sistema operacional IBM OS/2 perderam a guerra para seus concorrentes. Tal qual o WebOS,  se arruinaram, por mais que estivessem em pé de igualdade com outras plataformas.

A RIM estabeleceu o BlackBerry e seu software no ambiente corporativo, mas essa clientela tem diminuído à medida que deixam de enxergar razões para continuar fiéis aos serviços da empresa. Aos poucos, tanto o Android quanto o iPhone se tornam mais atraentes aos setores empresariais e, assim, o BlackBerry vê seu apelo diminuir progressivamente.

Há rumores de que a RIM esteja trabalhando no desenvolvimento de um concorrente ao iPad. No entanto, aparentemente, a empresa pensa em oferecer o dispositivo como um complemento, uma espécie de periférico que se conectaria ao BlackBerry. Pode ser uma estratégia suicida, afinal, o sucesso do tablet dependeria do sucesso de sua linha de smartphones.

É cedo apara anunciar a morte da Research in Motion. Não obstante, sua propriedade intelectual e sua base de clientes parecem ser, cada vez mais, seus únicos trunfos remanescentes. Talvez, o melhor para a empresa seria ser adquirida por uma competidora do mercado de dispositivos móveis. Ainda penso que a Microsoft deve estar observando tudo atentamente, imaginando o que a compra da RIM poderia adicionar aos seus esforços para se tornar competitiva em um setor tão promissor.



Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar