Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

SMARTPHONES HACKEADOS SÃO AMEAÇA PARA TROPAS AMERICANAS, DIZEM EXPERTS

17/08/2010

Smartphones hackeados podem colocar em perigo tropas americanas, ao enviar dados de localização para os inimigos usando mecanismos similares àqueles empregados por malwares para Android recentemente descobertos, dizem especialistas.

Softwares maliciosos que comandam funções do telefone poderiam fornecer informações valiosas sobre localização das tropas e seus movimentos, de acordo com Hugh Thompson, professor de segurança de software na Universidade de Columbia e palestrante na conferência RSA, e Markus Jakobsson, da equipe de segurança da PayPal.

"Mesmo aplicativos normais podem enviar um monte de informações", diz Thompson, e usuários individuais geralmente não sabem dizer se eles são um risco de segurança.

Jakobsson diz ter discutido o problema com a Agência de Pesquisa Avançada em Defesa (Darpa). "Eu diria que os militares estão cientes, e nada confortáveis com isso", afirma.

O mal uso de recursos legítimos do telefone pode ser perigoso, ele diz. Por exemplo, soldados que mandam fotos tiradas no celular podem não perceber que celulares com geotagging (inserção de dados GPS) enviam a localização exata de onde a imagem foi capturada. 

No caso do malware para Android descoberto na Rússia, ele envia mensagens SMS para um serviço que cobra US$ 5 da conta, mas ele poderia estar sendo usado para enviar dados GPS sobre a localização das tropas, diz Jakobsson.

Por exemplo, se o malware enviar geolocalização a cada 30 minutos, estaria revelando a movimentação dos soldados. Até mesmo a marcação de horário nas fotos enviadas para sites pode dar pistas.

Esses vazamentos poderiam ser piorados por malware instalado nos aparelhos. Para complicar, quando um usuário baixa e instalar um aplicativo no Android Market, o software pede acesso a uma série de serviços. "Mas são perguntas difíceis de responder, e o consumidor não deveria ter saber disso", diz Jakobsson. 

Em vez disso, ele propõe aplicativos de seguranã que monitorem quais processos estão em uso e que disparem alertas caso algo suspeito seja detectado. Um software desses permitiria que um soldado impedisse que dados perigosos saíssem do aparelho em uma zona militar.
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar