Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

TIM DESCARTA PLANO DE FUSÃO NO BRASIL

16/08/2010

A TIM Brasil reagiu aos rumores de possíveis fusões com uma comunicação interna. A informação foi dada aos funcionários da operadora por meio de uma carta assinada pelo presidente da tele, Luca Luciani. No documento, o executivo descarta uma possível fusão com a Vodafone ou com qualquer outra empresa. Os boatos surgiram em função das recentes movimentações do mercado local - a Telefônica incorporando a Vivo e a Portugal Telecom entrando no capital da Oi e a Embratel costurando sua integração com a Net.

Na carta, divulgada pela Agência Reuters nesta sexta-feira, 13/08, e que teve a sua veracidade confirmada pela empresa, Luciani garante que "os rumores sobre uma eventual associação entre Telecom Italia e Vodafone para atuar no Brasil, assim como outros que a imprensa publicou, são totalmente infundados". Também sustenta que "A TIM Brasil não está a procura de parceiros e o fortalecimento consistente da sua operação, trimestre a trimestre, comprova que ela está cada vez mais competitiva".

Os boatos sobre o futuro da TIM no Brasil ganharam força após a incorporação da Vivo à Telefónica - que deve acontecer num prazo de até 60 dias, em função de uma posição da Anatel, e da entrada a Portugal Telecom na Oi e da costura para integrar as empresas do grupo Telmex, em especial, entre Embratel e Net, e mais à frente, a Claro.

Isso porque para analistas, a tele teria ficado na ´berlinda´, uma vez que não tem condições, no momento, de ofertar o pacote completo de serviços, já que não tem operação de TV por assinatura. Em contrapartida, a GVT, comprada pela Vivendi, não possui serviço de telefonia móvel, o que permitiria um ´casamento de interesses´. A situação da TIM poderia ainda abrir frente para uma operadora ainda não estabelecida no Brasil, como é o caso da Vodafone.

Na carta encaminhada aos funcionários da TIM, Luca Luciani, reiterou que a tele brasileira é o ativo que proporciona mais crescimento à controladora Telecom Italia e que as premissas para o segundo semestre são muito boas, com a empresa bem preparada e colhendo os frutos de melhorias de integração com a Intelig, operadora fixa de longa distância adquirida no fim de 2009.
 
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar