Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

SAIBA PORQUE OS MATADORES DE IPAD JÁ ESTÃO MORTOS

27/07/2010

 

O iPad é um enorme sucesso, um "repeteco" do efeito do iPod no mercado de tocadores portáteis e do efeito do iPhone no mundo móvel. A Apple tomou de assalto a indústria de tablets/notebooks a um ponto que os concorrentes encontram dificuldades até para fabricar seus ?matadores de iPad?.

A Apple já ganhou ? e isso antes mesmo do produto chegar aos países da ásia, em alguns dos quais o tablet só foi lançado na semana passada. Como esperado, centenas de consumidores encararam filas para estar entre os primeiros a colocar as mãos no matador de netbooks, o iPad.

O lançamento bem-sucedido nesta última região só irá aumentar as vendas do tablet da Apple ? os fornecedores de peças já não conseguem atender à demanda da companhia.

Linha ocupada

?Meu telefone não para de tocar com ligações de pessoas que querem mais unidades?, disse o COO da Apple, Tim Cook, na semana passada.
O fornecimento de memória flash e telas estão particularmente afetados.

Essa é a razão pela qual a Apple já venceu a batalha pelo mercado de tablets, matando os nascentes ?matadores de iPad? (com a possível exceção dos produtos assustadoramente parecidos da Samsung, que também fabrica componentes eletrônicos) antes mesmo deles nascerem. Afinal de contas ? você pode ter o melhor projeto de tablet prontinho para ser produzido, mas isso não significa nada se você não consegue os componentes que precisa.

Nem significa muito se restrições de fornecimento significam que você precisa pagar muito pelas peças de que precisa  - os consumidores querem produtos atrativos com preços competitivos. Você precisa se equiparar à concorrência em uma série de quesitos, incluindo preço.

iPad - 300px (RGB Color)

iPad vendeu 3 milhões de unidades nos primeiros 80 dias de vendas.

Como publicado pela Reuters, o CEO da LG Display (que fabrica as telas do iPad), Kwon Young-soo, disse: ?A demanda (da Apple) continua crescendo e nós não conseguimos atendê-la totalmente. A Apple talvez tenha de adiar o lançamento do iPad em alguns países por causa de limitações no fornecimento de componentes e da forte demanda. Estamos considerando aumentar as linhas de produção para os produtos relacionados ao iPad, mas o fornecimento de forma geral deve continuar apertado até o início do ano que vem?, disse.

Analistas afirmam que o mercado de tablets está se expandindo.

Subindo
A companhia de pesquisas iSuppli aumentou na última semana em 82% sua previsão de vendas do iPad, para cerca de 13 milhões de unidades até o final deste ano.

?A iSuppli acredita que a única limitação atual para as vendas de iPad seja produção, e não demanda?, disse o diretor de pesquisas da iSuppli, Rhoda Alexander. ?A Apple adotou uma abordagem muito controlada ao introduzir esse produtos em novos mercados, com as limitações de produção sendo provavelmente as maiores inibidoras na velocidade de vendas do iPad.?

Isso pode inibir as próprias vendas da Apple, mas também impacta o caminho de venda para os nascentes concorrentes da Apple. Apesar disso, Forrester afirma que o grande sucesso do iPad forçou-o a alterar todas suas previsões para a indústria de tablets.

Mesmo se os concorrentes conseguirem se igualar ao iPad em preços, conseguir produzir componentes e criar uma ecossistema vital de desenvolvimento de aplicativos, eles conseguirão igualar a oferta do tablet da Apple?

O presidente e CEO da iSuppli, Derek Lidow, disse anteriormente que ?qualquer um que queira competir com a Apple precisará levar em conta o design do iPad, assim como suas enormes implicações na cadeia de valor e design de eletrônicos?.

Como a Apple possui o OS e tem controle sobre o design do processador utilizado nos aparelhos móveis que fabrica, ela pode garantir eficiência: seja no gerenciamento de energia ou desempenho dos gráficos, e por aí vai. Tais capacidades não podem ser replicadas por qualquer concorrente, certamente não por aparelhos com o Android ou Windows 7 Phone. Nenhum destes sistemas está otimizado para um aparelho específico, mas para vários aparelhos de diferentes fabricantes.

Isso vai servir como uma grande vantagem da Apple no espaço móvel, onde a capacidade de operar com mínimo consumo de energia é mais crítica do que em PCs desktop. Com Flash ou sem Flash.

ipad3g390

iPad 3G também fez sucesso de vendas, segundo números da operadora AT&T.

Apertando o botão
A Apple ainda não precisou jogar muitas de suas cartas. Os executivos confessam que foram surpreendidos pelo tamanho do impacto do aparelho, que segundo a Apple, já vendeu mais de 3 milhões de unidades desde seu lançamento em 3/4.

A analista da Forrester, Sarah Rotman Epps,afirma que o iPad ?não está se comportando como outros aparelhos: ele possui uma força por trás dele que indica uma demanda incrivelmente forte por este produto inteiramente novo.?

Epps originalmente esperava que os consumidores norte-americanos comprariam 3,5 milhões de tablets em 2010 e 8,4 milhões em 2011. Em vez disso, a Apple vendeu 3,27 milhões de iPads (internacionalmente) apenas no terceiro trimestre fiscal de 2010, encerrado no final de junho. E não apenas os modelos Wi-Fi. Os iPads 3G também são muito populares.

Anunciados na semana passada, os resultados financeiros da AT&T confirmam isso. A operadora da Apple nos EUA afirmou que foram ativados entre 400 mil e 500 mil iPads durante esse trimestre. Entre 75% e 80% desses assinantes escolheram o maior plano de dados disponível, disse o CFO e vice-presidente executivo da AT&T, Rick Lindner. Isso reflete apenas dois meses de vendas do iPad 3G, que só foi lançado nos Estados Unidos no dia 30/4.

O iPad é um sucesso no mercado do consumidor final, e agora também tem impacto nos mercados corporativos.

No limite
É surpreendente a quantidade de consumidores corporativos que estão abordando a AT&T sobre o iPad. A operadora disse que muitas companhias estavam realizando testes com o iPad, e muitas delas veem oportunidades para usar o tablet em seus negócios como um substituto do notebook.

Isso também não é um bom sinal para os fabricantes de netbook. E dá a Apple uma vantagem que a Microsoft não pode esperar alcançar.

Considerando os números divulgados pela Consumer Electronics Association (CEA), espera-se que sejam comercializadas 6,9 milhões de unidades do iPad nos Estados Unidos neste ano, gerando receitas de 4,3 bilhões de dólares. Esse número deve dobrar no próximo ano.

?Considerando que esses produtos não estavam no mercado há um ano atrás, é impressionante a rapidez com que estão se desenvolvendo?, disse a CEA. ?A CEA projetou que a computação móvel nos EUA gere rendimento de 20,6 bilhões de dólares em 37,7 milhões de unidades vendidas neste ano. A expectativa é de que as receitas de computação móvel cresçam 26 bilhões de dólares no próximo ano?, disse a CEA.

As receitas de aparelhos móveis wireless devem atingir 17,6 bilhões de dólares neste ano, segundo a organização. E as vendas de smartphones devem superar as 54 milhões de unidades.

Com a Apple já na posição de líder na categoria de smartphones e indiscutivelmente numa posição ascendente na categoria de tablets de computação que inventou, qual poderia ser seu plano para ascender no campo de notebooks?

No topo
Com tanto pelo que jogar, os rivais da Apple vão investir pesado agora para assegurar fornecimento futuro de componentes eletrônicos. As empresas asiáticas já estão colocando em operação novas unidades de produção.

Mas no momento, as restrições no fornecimento de componentes significam que a Apple possui a vantagem ? possui um produto popular que já está no mercado. A pergunta é, ela vai conseguir consolidar sua vantagem de curto prazo em uma irresistível liderança de mercado?

A história ? pelo menos a do iPod e do iPhone ? nos diz que a Apple possui o potencial para fazer isso. Ela aprendeu o que fazer da maneira difícil quando cedeu controle do desktop para a Microsoft e o Windows.

Desta vez não haverá misericórdia. Os matadores de iPad já estão mortos antes mesmo de nascerem.
 
 
 
 
Fonte: MacWorld Brasil

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar