Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ESTUDO PREVÊ INTERNET ATÉ 1.000 VEZES MAIS VELOZ

30/06/2010

Pesquisa elaborada pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) conclui que, em alguns anos, a internet pode chegar a ser de 100 a 1.000 vezes mais veloz que os padrões atuais de conexão. Além do aumento de velocidade, o estudo também prevê redução no consumo de energia utilizada no processo.

De acordo com o coordenador da equipe de pesquisa, Dr. Vincent Chan, o instituto conseguiu demonstrar uma nova forma de organizar a rede óptica de maneira que sejam reduzidas as ineficiências do procedimento de conversão dos sinais ópticos para elétricos e vice-versa.

A transmissão de dados por fibra óptica funciona por meio do carregamento de diferentes informações ao longo de uma mesma fibra. Apesar dos bons resultados da tecnologia, alguns problemas podem ocorrer quando os sinais ópticos provenientes de diferentes locais tentam atingir o mesmo roteador simultaneamente. O processo de conversão dos sinais ópticos para elétricos permite que o roteador armazene na memória as informações até que possam ser transmitidas novamente. Embora essa etapa possa levar apenas alguns milissegundos, o alto preço da tecnologia não valoriza a relação custo-benefício.

O projeto idealizado pelo Dr.Chan, que recebe o nome de "troca de fluxo", propõe uma nova forma de resolver a situação. Em locais onde existe grande troca de de dados, como grandes cidades, por exemplo, o procedimento criado estabeleceria um caminho único pela rede. Para certos comprimentos da onde de luz, roteadores ao longo deste caminho aceitariam sinais vindos apenas de uma direção e também os redirecionariam em um único sentido. Dessa forma, não seria necessário armazenar sinais na memória, já que não chegariam de destinos diferentes, todos seguiriam uma única direção.

Ainda não foi informado se o estudo será colocado em prática nos sistemas atuais de fibra óptica.
 
 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar