Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

DOMÍNIO .XXX IRÁ FACILITAR ACESSO A CONTEÚDO PORNÔ, DIZ EMPRESA

30/06/2010

No dia 25, a Icann, órgão que regulamenta os endereços na internet, decidiu permitir a venda de domínios terminados em .xxx, no que chamou de "um esforço para criar uma comunidade que se auto-regule", além de simplificar o bloqueio desse tipo de site.

No entanto, para a InternetSafety.com, empresa que fornece softwares para filtro de conteúdo online, a decisão do Icann irá, na verdade, dobrar a facilidade de acesso à conteúdo pornográfico, além de não facilitar o bloqueio.

De acordo com a nova regulamentação, sites com conteúdo adulto não precisam comprar um domínio .xxx ou abandonar seus domínios .com. O que é mais provável, diz a entidade de segurança, é que os sites pornôs criem versões .xxx de seus domínios e simplesmente os usem para redirecionar tráfego para a versão .com ? efetivamente dobrando sua presença na web.

Por isso, simplesmente bloquear o domínio .xxx não irá prevenir o acesso. Ainda por cima, como sites não-pornográficos também poderão ter endereços .xxx, um filtro que bloqueie o domínio todo será excessivo.

Grupos de advocacia como o "Enough is Enough" já estão atacando a medida, devido ao seu potencial de aumentar o acesso a conteúdo adulto. A ideia de um domínio .xxx tem sofrido oposição de grupos de ambos os lados do debate. Os conservadores protestam que a decisão irá legitimar a indústria da pornografia, enquanto os liberais argumentam que é um passo em direção à censura, devido à possibilidade de bloqueio de um domínio inteiro em vez de sites individuais.

"O modo como a Icann escolheu implementar o domínio .xxx não terá qualquer efeito no filtragem de conteúdo", diz Aaron Kenny, CTO e co-fundador da InternetSafety.com. "Enquanto houver sites pornôs .com, será preciso filtrara um por um. Em vez de resolver o problema, a Icann potencialmente duplicou a presença da pornografia na web". 

De acordo com o estudo "Internet Filter Review", há 4,2 milhões de sites pornográficos, com 420 milhões de páginas. Eles recebem 75 milhões de visitantes únicos por mês, e representam 12% de todos os destinos online. Em torno de 25% dos termos pesquisados são ligados à pornografia, cerca de 43% dos internautas vêem esse tipo de material e 10% dos adultos admitem o vício nesse conteúdo, diz a pesquisa.
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar