Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

BULL REFORÇA OFERTA PARA EXPLORAR MERCADO DE CLOUD NO BRASIL

11/06/2010

Animada com o potencial de crescimento da economia brasileira, a Bull vai ampliar o seu leque de ofertas para expandir a operação no País, que atualmente responde por 70% dos negócios da América do Sul, onde a empresa tem o objetivo de atingir uma receita líquida de 74 milhões de dólares em 2010 - com aumento de 23% sobre os 60 milhões de dólares registrados no ano passado. A promessa é do presidente mundial da companhia, Philippe Vannier, que assumiu a posição há duas semanas e nesta semana visitou a subsidiária brasileira.

Durante a visita, o executivo informou que um dos focos que a companhia pretende explorar no Brasil é a oferta de uma infraestrutura segura para cloud computing (computação em nuvem). Ele reconheceu que as organizações, principalmente instituições financeiras, não vão investir nesse modelo de processamento sem a garantia de que os dados não vão vazar pela nuvem.

Para conquistar a confiança de seus clientes, a Bull acabou de comprar a empresa francesa Amesys, fornecedora de soluções de segurança, da qual Vannier era presidente. Os produtos da companhia serão incorporados à oferta de cloud computing da empresa.

?Esse mercado não acontecerá se não tiver segurança. Há grandes companhias interessadas em cloud computing, como é o caso da Embraer e os bancos, mas ninguém vai entrar nisso se não tiver segurança?, acrescenta o presidente da Bull para a América Latina, Alberto Araújo.

Além da nuvem, Vannier aposta em outras ofertas para acelerar o crescimento da filial brasileira. Entre elas está a entrega de soluções para proteger informações de segurança nacional e a computação de grande porte, na qual a companhia conta com sete equipamentos em operações, entre os quais, uma máquina utilizada pela Petrobras para suportar 215 laboratórios de pesquisas e aplicações de realidade virtual.

A Bull quer também ampliar as parcerias com universidades para implementação dessas máquinas em institutos de pesquisas. A companhia ainda promete novas soluções integradas de missão crítica para seus principais mercados: telecom, finanças, governo, energia e grandes corporações.
 
 
 
 
Fonte: Computerworld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar