Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

COM ´SALÁRIO´ DO YOUTUBE, MÚSICO BRASILEIRO DE 22 ANOS COMPRA APARTAMENTO NOS EUA

03/05/2010

  • Reprodução/YouTube

    Joe Penna, 22, ganha "salário" do YouTube para postar dois vídeos por semana na internet

Joe Penna, 22, é brasileiro e vive nos Estados Unidos há 11 anos. Com seu trabalho, ele conseguiu comprar à vista um apartamento de dois dormitórios em Los Angeles. ?As pessoas não acreditam que eu ganho dinheiro fazendo vídeos para o YouTube?, disse ele, que tem o canal com o maior número de assinantes ? pessoas com conta no serviço de vídeos que ?acompanham? certo usuário ? do Brasil (mais de 740 mil).

Penna, que largou o curso de medicina no MIT (Massachusetts Institute of Technology) para se dedicar à produção e edição de vídeos, fazia vídeos musicais e postava em seu canal no YouTube, até que um dia recebeu um e-mail dizendo ?nós queremos lhe pagar pelo que você já faz.? Desde então, MysteryGuitarMan, como é conhecido na rede, passou a ganhar dinheiro a cada clique dado nas propagandas que aparecem ao lado dos vídeos (ainda musicais). Ao todo, o canal de Penna conta com mais de 60 arquivos e já ultrapassa as 55 milhões de visualizações.

Questionado se o emprego dele é o melhor do mundo, foi taxativo: ?trabalho ideal mesmo seria ter o pai rico, o que não é o meu caso?. Mesmo assim, diz gostar muito do que faz e que continuará vivendo só de vídeos até quando puder. Joe posta dois arquivos por semana: às terças e quintas-feiras. E também trabalha duas vezes por semana, sempre na véspera da próxima publicação.

Em entrevista ao UOL Tecnologia concedida por um programa de voz sobre IP (VoIP) -- afinal, ele vive de tecnologia --, Joe conversou, com português americanizado, sobre sua vida em Los Angeles, o sucesso na internet e de como largou o curso de medicina para se tornar, como ele mesmo se define, um filmmaker (pessoa que faz vídeos). Confira abaixo os principais trechos da entrevista:

UOL Tecnologia - Quando começou a fazer vídeos?
Joe Penna - Comecei a fazer vídeos com meus amigos quando estava no colégio. Com o tempo, fui me interessando cada vez mais por edição. Meus pais influenciaram muito na minha formação. Meu pai é engenheiro e sempre gostei de coisas técnicas, de mexer em eletrônicos. Por outro lado, peguei da minha mãe características mais ligadas à criatividade, pois ela é artista.

O que despertou mesmo meu interesse pelos vídeos foi o filme ?Jurassic Park?. Eu adorei ver aqueles efeitos dos dinossauros correndo na floresta. No entanto, eu sempre pensava: ?ser artista não dá certo, poucas pessoas ganham dinheiro com isso, a maioria passa fome?.

UOL Tecnologia - Você estudou medicina por um tempo no MIT e largou o curso. Quando você viu que seu negócio não era ser médico?
Penna - Medicina é importante para a sociedade, mas não era para mim. Até porque, as pessoas não querem um cirurgião criativo, que coloque o nome dele no coração de uma pessoa que está sendo operada, por exemplo.

UOL Tecnologia - Como foi o contato com o YouTube?
Penna - O YouTube tem um programa de parcerias para os canais de vídeos com o maior número de visualizações. Eles me mandaram um e-mail dizendo mais o menos o seguinte: ?nós queremos lhe pagar pelo que você já está fazendo?. Aceitei e hoje faço vídeos para o YouTube em período integral. O dinheiro que eu ganho vem de cliques em propagandas no meu canal. A cada clique dado, recebo centavos de dólar.

UOL Tecnologia - Você acha que tem o melhor emprego do mundo?
Penna - Trabalho ideal mesmo seria ter o pai rico, o que não é o meu caso. Eu gosto do que faço e vou continuar até eu puder. O legal do meu trabalho é que eu tenho total liberdade para fazer o que eu quiser: já fiz vídeos com violino, garrafas d?água, lista telefônica, etc. E também tenho a vantagem de ser meu próprio chefe, de me programar como eu achar melhor.

UOL Tecnologia - Você ganha mais do que se tivesse se formado médico?
Penna - Não sei, pois há médicos que ganham muito bem. O que eu posso falar é que eu ganho bem. Com meu salário consegui comprar um apartamento à vista em Los Angeles com dois dormitórios. Mas eu não sou o único que ganha dinheiro com isso, tem gente no YouTube que chega a tirar meio milhão por ano.

  • Reprodução/YouTube

    Joe Penna, também conhecido como MysteryGuitarMan, no vídeo Attack of the Clones

UOL Tecnologia - Você tem crises de criatividade? Pois agora é pago para fazer algo que antes era só um hobby...
Penna - Ainda não tive, mas, mesmo nos dias em que não estou produzindo vídeos, eu fico pensando neles e em como executá-los. Geralmente trabalho dois dias na semana, nos dia anteriores à publicação dos meus vídeos (segunda e quarta).

UOL Tecnologia - Por que você acha que os vídeos fazem sucesso?
Penna - Acho que as pessoas gostam dos meus vídeos pelo fato de serem sempre diferentes e, também, por eles serem sempre musicais. Música é uma linguagem que pode atingir todas as pessoas, sem a necessidade de entenderem o que eu falo.

UOL Tecnologia - Como é sua vida social aí em Los Angeles?
Penna - Finalmente, tenho uma namorada, mas fiquei muito tempo sozinho fazendo vídeos no meu apartamento. As coisas só começaram a melhorar depois que mudei para Los Angeles, pois conheci outras pessoas que também só fazem vídeos para o YouTube.

UOL Tecnologia - Você é reconhecido quando anda por Los Angeles?
Penna - Acho que umas duas ou três vezes por semana alguém me para na rua falando que me conhece. Inclusive, há uns tempos teve um episódio interessante. Eu e uns amigos saímos para comer, e a filha do dono do restaurante me reconheceu. Ela disse que gostava dos meus vídeos e depois que comemos, o pai da menina não cobrou nossa comida.

UOL Tecnologia - Você acha que faria o mesmo sucesso se morasse no Brasil?
Penna - Creio que sim, até porque há outras pessoas aí, como o pcsiqueira (dono no canal
maspoxavida), que fazem bastante sucesso. Mas acho que um dos diferenciais é o fato de meus vídeos serem em inglês. Falando em inglês, até pela popularidade da língua, os vídeos se tornam mais universais. Mesmo assim nos meus vídeos, sempre falo algumas frases em português e muitos brasileiros acabam gostando de mim por isso.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar