Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

NOVOS RECURSOS DO BLACKBERRY MIRAM PÚBLICO JOVEM, DIZ ANALISTA

28/04/2010

Os anúncios feitos pela Research in Motion (RIM) em Orlando, durante o Wireless Enterprise Simposium (WES) são sinais claros de que a fabricante do BlackBerry vem tentando expandir seu mercado de atuação em direção a consumidores finais e a pequenas e médias empresas.
 
Esta é a avaliação do gerente de inteligência de mercado para América Latina da consultoria Frost & Sullivan, José Roberto Mavignier. Para ele, a entrada de outras empresas no mercado corporativo, como a Apple, com o iPhone, fez a RIM reagir. "O novo sistema operacional BlackBerry 6.0 tem o apelo do iPhone", observa o especialista.
 
De fato, durante a apresentação do Chief Executive Officer (CEO) da RIM, Mike Lazaridis, na manhã desta terça-feira (27/04), o vídeo que mostrava o BlackBerry 6.0 deixava a impressão de que o sistema operacional será para smartphones touch screen, embora também funcione em modelos com o tradicional trackpad óptico. A RIM parece tímida no mercado de touch screen - seu portfólio conta apenas com duas versões do mesmo aparelho, o Storm.
 
Entre os jovens
Mavignier diz que os aparelhos BlackBerry começam a ganhar força entre consumidores finais no Brasil, repetindo um fenômeno que ocorreu nos Estados Unidos. Segundo ele, cada vez mais adolescentes e jovens vêm usando os smartphones da RIM, e não mais apenas executivos.
 
Para o gerente da Frost & Sullivan, o recente anúncio de que a RIM dará início à produção de aparelhos no Brasil - inicialmente o Curve 8520 será fabricado no País - deverá colaborar para que a empresa ganhe mais participação no mercado nacional, já que poderá reduzir o preço dos aparelhos em pelo menos 30% a 40%, percentual que corresponde aos impostos de importação. O Curve passaria de 1 mil reais para aproximadamente 700 reais, calcula.
 
Além disso, a produção no Brasil permitirá à RIM expandir seus canais de distribuição. Tradicionalmente, a fabricante atua por meio de parcerias com operadoras, com a venda de soluções que incluem hardware, software e serviços, já que seu principal mercado é o segmento corporativo. No caso do usuário final, novo alvo da fabricante canadense, segundo a análise de Mavignier, os canais de distribuição poderiam ser diferentes e incluiriam redes de varejo, por exemplo.
 
 
 
Fonte: Computerworld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar