Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

POR RASTREAMENTO, POLÍCIA ACHA HACKER. O SUSPEITO? UMA CRIANÇA DE 9 ANOS

19/04/2010

Algumas semanas atrás, a administração da rede de escolas públicas do condado de Fairfax pensou que tinha um hacker nas mãos.

Alguém estava mudando as senhas dos professores do sistema Blackboard utilizado pelas escolas de Falls Church, na Virgínia (EUA). O sistema é utilizado por professores, estudantes e pais, como uma forma de se comunicar e acompanhar as lições de casa e os avisos de classe, pela web.

A polícia local foi chamada; eles investigaram e rastrearam a invasão e chegaram à casa de um estudante de 9 anos. No começo, os policiais pensaram que o sistema tinha sido invadido, mas descobriu-se que um estudante daquele condado - que não foi identificado - simplesmente copiou a senha de um dos professores, que estava anotada em sua mesa, e a usou para mudar as listas de alunos e as senhas dos outros professores.

"Este foi um caso em que um indivíduo (...) teve a posse da senha de um professor, e essa senha tinha privilégios administrativos", disse Paul Regnier, porta-voz da rede de escolas.

Sem notas
O estudante foi capaz de atribuir aulas a professores, e em seguida modificou as senhas de outros professores no sistema Blackboard, mas não havia muito mais que ele poderia fazer, disseram representantes da Blackboard. O intruso não poderia, por exemplo, mudar notas ou acessar outros computadores do sistema escolar.

Isso não impediu alguns jornais locais de se referirem ao incidente como uma invasão de computador, uma caracterização que agora é questionada por Regnier e pela Blackboard.

"Não foi um hack, a menos que se considere que alguém com 9 anos que tenha copiado a senha de um professor seja um hack", argumentou Michael Stanton, vice-presidente sênior de assuntos corporativos da Blackboard.

Embora não tenha havido acusação formal contra o "invasor" - pelas políticas da escola, Regnier não confirma se ele estava matriculado na escola - a administração escolar diz estar levando o caso a sério. "Nada de mal aconteceu desta vez, mas temos de ter certeza de que (...) não acontecerá de novo", disse.

O segredo, acrescentou, é manter as senhas a salvo de olhares curiosos.
 
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar