Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CHROME ATUALIZARÁ FLASH PLAYER AUTOMATICAMENTE, SEM PEDIR PERMISSÃO

05/04/2010

Nova parceria entre a Google e a Abobe permitirá ao navegador Chrome atualizar automaticamente o Flash Player sem pedir permissão prévia aos usuários, segundo um diretor de engenharia da Adobe.

Esta semana, as duas empresas anunciaram que o navegador da Google passaria a ter o "Flash Player" integrado, em vez de utilizar um plug-in separado, e instalado junto com o navegador, evitando o risco de segurança associado às instalações do plug-in e dando maior estabilidade.

"Se você quer ter uma experiência segura, as atualizações devem acontecer apenas em segundo plano", afirma Peter Betlem, diretor sênior de engenharia Flash Player

A prática de atualizações automática em segundo plano é comum no Chorme. Ao contrário de outros navegadores, ele próprio se atualiza automaticamente em segundo plano, sem pedir licença ou avisar os usuários que correções de segurança correções ou novos recursos estão disponíveis. No início, muitos usuário se irritaram com ela, mas loga as críticas desapareceram.

Hoje, apenas os desenvolvedores têm acesso às versões 5.0.360.4 (Windows e Mac) e a 5.0.360.5 (Linux) do Chrome com Flash Player integrado. Ainda não há uma data definida para a liberação dessas versões para o público em geral.

Segundo Betlem, a Adobe não chegou a procurar outros fabricantes de browsers, como Microsoft ou Mozilla, para lançar algo semelhante. "Mas estamos abertos a negociar, se houver interesse", disse ele.

Tentamos, mas a Fundação Mozilla não respondeu a um pedido de comentário sobre a estratégia de atualização Chrome-Flash.

Google e Adobe também falam em estender as defesas do sandbox do Chrome para as páginas com conteúdo dem Flash como um recurso a mais para aumentar a segurança dos usuários. O sandbox permite ao Chrome manter processos isolados uns dos outros e do resto da máquina, impedindo ou dificultando a infecção da máquina por códigos maliciosos. "Não fizemos muito ainda, mas já estamos avaliando se faz sentido ter os nossos processos rodando em uma única caixa separada. É uma prioridade na lista de desenvolvimento", disse Betlem.

Parece um detalhe, mas não é. No fim de março, pesquisadores de segurança detectaram um tipo de software malicioso que se sobrepõe à função de atualização de outras aplicações, o que a longo prazo pode representar um risco para os usuários.

O malware, que infecta computadores com Windows, se disfarça de ´updater´ de produtos da Adobe e de outros softwares, como Java, escreveu Nguyen Cong Cuong, analista da empresa vietnamita de segurança Bach Khoa Internetwork Security (BKIS), em blog.
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar