Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

GOOGLE INCLUI ÁREA NO DOCS PARA GUARDAR GRANDES ARQUIVOS

13/01/2010 01:00:00

O Google está abrindo sua suíte de produtividade Docs para que usuários possam gravar nela qualquer tipo de arquivo, o que dá ao popular software um importante componente de armazenamento online. O anúncio foi feito nesta terça-feira (12/1), no blog da empresa, pelo gerente de produto para o Google Docs, Vijay Bangaru.

A funcionalidade será aberta gradualmente nas próximas semanas a todos os usuários do Docs, tanto os que usam a versão pessoal como os que a usam como parte do pacote Apps, voltado para empresas.

A partir de agora, os usuários do Docs serão capazes de armazenar todos seus arquivos importantes em um único lugar online, que poderá ser acessado e compartilhado de qualquer lugar e com qualquer pessoa - uma alternativa ao método arcaico de mandar um e-mail, com arquivo anexado, para si mesmo.

"Esta é uma extensão natural e progressiva do que temos feito com o Google Docs", disse Bangaru.

Sem G-Drive
O que não há, explica Bangaru, é o "G-Drive". Segundo o Google, o tão comentado serviço de armazenamento na nuvem ainda terá de esperar para ver a luz do dia. "Do ponto de vista do consumidor, isto não é um drive virtual. Não há um software para ajudá-lo a sincronizar terabytes com a nuvem", disse.

Para oferecer as novas funcionalidades, o Google trabalhou com alguns parceiros que já criavam aplicações com base na Docs API (interface de programação de aplicativos). Esses recursos faziam parte de aplicações externas construídas especificamente para usuários da versão Premier do Apps, que é a mais sofisticada e a única que é paga - custa US$ 50 por usuário, por ano. As empresas que usam o Apps Premier também serão capazes de construir suas próprias aplicações usando esta API.

Só porque os usuários podem armazenar qualquer tipo de arquivo no Google Docs não significa, no entanto, que eles serão capazes de abrir esses arquivos na nuvem do Docs, como já ocorre hoje com outros arquivos, como o PDF da Adobe, documentos do Microsoft Office e, claro, formatos nativos do Docs.

"Infelizmente não é possível escrever editores web para cada tipo de arquivo que existe", disse. Nesses casos, os usuários serão capazes de acessar os arquivos online e compartilhá-los com outros, mas para trabalhar com eles será preciso fazer o download para o PC e carregar a aplicação necessária.

Mais espaço
Além das novas capacidades, o Google está aumentando o limite para tamanhos de arquivos, que agora podem ter até 250 MB cada. Os usuários da suíte Docs pessoal terão 1 GB de armazenamento livre para para guardar arquivos em seus formatos originais, além dos que usam o formato Docs nativo.

Se for necessário, pode-se comprar armazenamento adicional por 25 centavos de dólar por gigabyte, por ano. Os usuários do Google Apps terão 1 GB de armazenamento, e terão a habilidade de comprar armazenamento adicional por 3,50 dólares por gigabyte, por ano.

Apesar de o Docs atualmente não ter botões de um só clique para postar ou publicar arquivos para sites de tereceiros e serviços como Facebook, o Google não está fechando a porta para a inserção de mais funcionalidades.

"Por trás desse recurso está a ideia de que é realmente uma oportunidade, para o Google, de investir no armazenamento em nuvem e de oferecer serviços de valor agregado a seus usuários, que podem compartilhar e guardar arquivos, trabalhar de modo colaborativo e pesquisar todo esse conteúdo", disse Anil Sabharwal, gerente de produto do Google Docs. "Para nós, há uma grande oportunidade de oferecer serviços de valor agregado sobre quaisquer desses tipos de arquivo."
 
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar