Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

APOIO À MULHER QUE AGREDIU O PAPA NO FACEBOOK CAUSA POLÊMICA NA ITÁLIA

28/12/2009 01:00:00

Susanna Maiolo, que na noite de quinta-feira (24) derrubou o papa Bento 16 a caminho da Missa do Galo, já contava com mais de 150 amigos e várias mensagens de apoio no site de relacionamentos Facebook nesta sexta --algo que gerou polêmica na Itália.

A jovem de 25 anos, de dupla nacionalidade italiana e suíça, sofre de problemas mentais. Ela foi apontada por um dos usuários do Facebook como campeã de "corrida com obstáculos", devido ao impressionante salto que deu para romper a barreira de segurança e empurrar o pontífice, que caiu no chão no meio da procissão.

Jonathan Bainbridge -22.mai.09/Reuters
Várias autoridades italianas solicitam desde outubro que uma investigação seja aberta para fechar algumas páginas do Facebook
Várias autoridades italianas solicitam desde outubro que uma investigação seja aberta para fechar algumas páginas do Facebook

"A presença no Facebook de simpatizantes de Susanna Maiolo confirma que é necessário intervir a nível legislativo", comentou o senador Antonio Gentile, do conservador Partido das Liberdades.

Várias autoridades italianas solicitam desde outubro que uma investigação seja aberta para fechar algumas páginas do Facebook que incentivam a agressão e até o assassinato de figuras públicas, entre elas o chefe do governo, Silvio Berlusconi.

No dia 13 de dezembro, ao término de um comício, Berlusconi foi atingido no rosto por uma miniatura da Catedral de Milão, atirada por Massimo Tartaglia, 42, que também sofre de problemas mentais --e imediatamente se transformou em um herói para os usuários do Facebook.

"Está acontecendo com Susanna Maiolo no Facebook o mesmo que aconteceu com o agressor de Berlusconi: um fórum social que enaltece a violência", declarou Gentile.

"Esperamos que os grupos do Facebook que elogiam o gesto de Susanna Maiolo pensem na estupidez que cometem ao lançar uma iniciativa tão desagradável, que deve ser impedida e condenada", disse Gianfranco Rotondi, ministro para programa de governo.

O papa, que saiu ileso do incidente, pronunciou sem problemas a tradicional bênção Urbi et Orbi, durante a qual sequer citou a agressão que sofreu.

Maiolo foi internada em um centro médico para pessoas com problemas psiquiátricos, segundo Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano.
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar