Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

GRADIENTE PRETENDE INGRESSAR NO MERCADO DE NOTEBOOK

10/12/2009 01:00:00

Após ter anunciado plano de recuperação extrajudicial nesta quarta-feira (9/12), por meio de fato relevante, a Gradiente volta à cena em 2010, de olho em produtos de alto valor agregado. De acordo com o analista da consultoria IT Data, Ivair Rodrigues, a fabricante sinalizou há dois meses intenção de estrear no mercado com a produção de notebooks, já sob a operação da nova empresa CBTD (Companhia Brasileira de Tecnologia Digital).

?Acredito que eles não devem usar a fábrica em Manaus que teve produção interrompida por quase três anos?, afirma Rodrigues. Para ele, produzir localmente eletroeletrônicos no Brasil, por exemplo, é algo proibitivo, sobretudo pela forte concorrência dos produtos importados da China.

Além de computadores portáteis, especula-se que a Gradiente pretende retomar a fabricação de televisores LCD. No caso dos laptops, o analista afirma que a companhia precisa de fôlego financeiro para brigar no mercado local e se manter competitiva. ?Produzir notebooks não é algo tão simples assim quanto fabricar PCs?, ressalta Rodrigues.

No Brasil, além do custo maior de fabricação local em relação aos computadores, os notebooks têm a desvantagem de brigar com os equipamento importados (muitos, inclusive, entram sem declarar à Receita Federal).

O mercado de notebooks no País, segundo a consultoria IDC, é um dos mais promissores. A expectativa é que já no quarto trimestre deste ano os laptops superem o número de desktops vendidos no varejo nacional. No terceiro trimestre de 2009 foram comercializados 1,37 milhão de computadores, dos quais metade são portáteis

Mesmo diante de um cenário positivo, resta a dúvida se a Gradiente de fato terá poder de fogo. A companhia possui uma dívida 385 milhões de reais com bancos e fornecedores que, segundo comunicado ao mercado, foi renegociada em sua totalidade com os credores, sem desconto e com acréscimo de juros.

Sobre possíveis danos à marca, Rodrigues não vê grandes problemas. ?As pessoas sempre viram a Gradiente como marca de qualidade?, diz.

Recuperação extrajudicial
Para aproveitar os benefícios da nova Lei de Falência - que está em vigor desde 2004 e ajuda empresas em situação pré-falimentar a se reerguerem -, a fabricante de eletroeletrônicos tenta resolver o impasse de suas dívidas e, a partir da nova empresa atrair crédito.

Segundo o sócio do escritório de advocacia Leite, Tosto e Barros Advogados, Charles Isidoro Gruenberg, a estratégia de recuperação extrajudicial vai trazer maior transparência sobre os números da empresa e o tamanho de seu endividamento.

?A análise de crédito se torna mais simples nesses casos?, diz o advogado. Mas ele alerta que ?o plano precisa ser homologado em juízo para ter efeito legal?. O processo de recuperação extrajudicial não contempla, entretanto, os acordos trabalhistas e prevê que tenha aceitação de 2/3 dos credores. A Gradiente anunciou que 60% deles bateram o martelo. 

Crise
Desde 2007, a Gradiente enfrenta uma crise financeira que a fez desaparecer do mercado, depois de uma série de erros, muitos deles cometidos há mais de dez anos. Para tentar minimizar a situação, a empresa buscou empréstimo, no início do ano, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para retomar a produção de sua fábrica em Manaus, mas não obteve sucesso. A nova empresa nasce com aporte de 75 milhões de reais vindo de investidores.
 
 
 
Fonte: Computerworld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar