Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

PROMOÇÕES DE 3G PARA O NATAL SERÃO MONITORADAS PELA ANATEL

08/12/2009 01:00:00

As promoções agressivas das operadoras móveis para a venda de pacotes 3G para o Natal preocupam a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O órgão regulador informou que vai monitorar os planos de serviços para evitar congestionamento de tráfego nesta época do ano e prejuízos para o consumidor.

As campanhas promocionais de 3G para o final do ano estiveram entre os temas abordados na semana passada, em Brasília, durante reunião com representantes da Anatel e de seis operadoras de celular. Na ocasião, em que foram discutidas ações gerais de planejamento para os serviços móveis, técnicos da Anatel recomendaram medidas às prestadoras de serviços para evitar reclamações de usuários da banda larga móvel.

Com a expansão das redes 3G, maior oferta de aparelhos e de modems, a banda larga móvel promete ser uma das vedetes de vendas neste final de ano. Esforço é o que não falta por parte da indústria e operadoras móveis para atrair usuários para esse serviço. Elas aproveitam a retomada da economia, responsável por gerar aumento de consumo, para empacotar ofertas com 3G para o Natal, que vão desde acesso grátis por um ano em planos pré-pagos até terminais sem custo para novos contratos de dados.

Homologação dos planos

A agência não pode intervir nas promoções agressivas, já que essa prática é livre, mas informa que pode controlar os planos de serviços, que antes de serem colocados no mercado precisam ser autorizados pelo órgão.

?A Anatel avalia a infraestrutura de 3G nas áreas em que os serviços dos pacotes de Natal são ofertados. Se a rede não tiver condições de suportar o tráfego, o plano não poderá ser homologado para venda. Em alguns lugares as teles não vão fazer campanha maciças ?, diz um técnico da agência.

Além de controlar os planos, ele afirma que o órgão terá uma equipe destinada ao acompanhamento da qualidade da internet móvel no final do ano. ?Vamos fazer uma força-tarefa para garantir a qualidade dos serviços?, afirma.

Crescimento das redes

Os serviços 3G entraram em operação no Brasil em novembro de 2007, e as redes cresceram mais rápido do que o esperado. Segundo técnicos da Anatel, em dois anos a banda larga móvel chegou a cerca de 470 municípios, quase o dobro da meta inicial, que era oferecer em 24 meses cobertura em 270 cidades.

Atualmente, aproximadamente 7 milhões de usuários acessam os serviços 3G no Brasil. Alguns estão em áreas carentes de infraestrutura para banda larga e navegam na internet móvel pelo computador via modem 3G. Essas pessoas ficam online como se estivessem em rede fixa e consomem muita banda.

Como o tráfego de dados é 30 vezes maior que o gerado pelos serviços de voz, segundo técnicos da Anatel, o aumento de usuários em algumas áreas pode causar gargalos e as operadoras precisam estar preparadas para garantir a qualidade dos pacotes 3G com acesso ilimitado.

Segundo dados da Anatel, 94% dos usuários de 3G são de classe alta. Eles têm nível superior completo, possuem notebook e podem pagar pacotes ilimitados. Por isso, costumam ficar muito tempo online.

Aumento de usuários

Com a queda de preços, outras faixas da população passarão a ter acesso a esse serviço. As previsões da Anatel são de que até 2018 aproximadamente 120 milhões de brasileiros estarão usando a banda larga móvel.

Para atender a esse volume de usuários, as operadoras terão de construir redes mais poderosas, como as de 4G e Wi-MAX.

Segundo especialistas de mercado, projetos como o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), que será implantado pelo governo federal para massificar a internet rápida no Brasil, vão impulsionar investimentos nesse tipo de infraestrutura.

A escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 são outros projetos que vão ajudar na expansão das redes móveis.  
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar